Cristóvão Borges e Eurico Miranda

Eurico Miranda durante apresentação de Cristóvão Borges nesta sexta-feira (Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br)

LANCE!
02/12/2016
18:52
Rio de Janeiro (RJ)

Em mais de duas décadas no comando do futebol do Vasco, Eurico Miranda já presenteou a imprensa com inúmeras entrevistas e em nenhuma delas deixou de dar uma declaração de efeito, de provocar um rival ou de xingar um opositor. O mandatário de São Januário citou Pep Guardiola, atualmente treinador do Manchester City, da Inglaterra, para justificar a contratação de Cristóvão Borges como novo técnico do Cruz-Maltino.

Eurico utilizou a frase "Todo mundo é baba-ovo do Guardiola", referindo-se ao fato de que o espanhol demoraria a resolver os problemas do Vasco, enquanto Cristóvão já conhece os problemas do clube. 

O LANCE! recuperou algumas frases marcantes da vida política do dirigente no Cruz-Maltino. Confira e relembre momentos da passagem de Eurico Miranda no comando do clube de São Januário.

Abaixo as frases do dirigente vascaíno:

"Foi um resultado normal. Anormal é quando o Flamengo vence o clássico"
Sobre a goleada do Vasco por 5 a 1 sobre o rival, em 2001

"Não sei se tenho maior prazer numa relação sexual ou se quando ganhamos do Flamengo"
Sobre as vitórias nos clássicos sobre o Fla

"Leão sem juba é miau"
Respondendo às críticas do técnico Emerson Leão

"Sempre interferi para que ele (Romário) fosse escalado, e sempre vou fazer isso quando os interesses do Vasco forem prejudicados"
Ironizando a desculpa dada por Romário para deixar o cargo de técnico

"Não existe essa história de quem não deve não teme. Todo mundo deve alguma coisa"
Na época em que está sendo investigado pela CPI

"Edmundo tem chance zero de voltar ao Vasco. Ele nunca mais voltará ao Vasco. Depois do que fez, ele é quem tem de pagar ao Vasco"
Quando Edmundo deixou o Vasco em 2000. O Animal voltou em 2003 e, em 2008, é o principal jogador do time

"Perder a eleição para esses amarelinhos? Não tem a menor chance. Se eu perder a eleição para esses janotas, eu desisto do Vasco"
Ironizando e chamando de almofadinha o adversário Julio Brant, seu rival na disputa pela presidência do Vasco deste ano, cuja chapa era amarela

"Já comprei o chope. E paguei. Tenho certeza de que vamos ser campeões porque nosso time é muito melhor do que o Flamengo. Raramente eu erro. Mas, se errar, as conseqüências virão para mim"
Antes da derrota na final do Campeonato Estadual de 2004. O Flamengo foi campeão naquela oportunidade

"Sempre digo lá em Brasília que não sou representante do povo. Sou representante do Vasco"
Sobre a época em que era deputado federal

"Vasco e Flamengo é um campeonato à parte"
Sobre a rivalidade entre os dois clubes

"Se eu estivesse preocupado com a situação (financeira) do Vasco, não teria largado meus netos para resgatar o Vasco"
Após ser eleito presidente do Vasco para o triênio 2015-17

"Aqui no Vasco mando eu. Ditatorialmente!"
Ao comentar a política interna do clube

"Não existe essa história de quem não deve não teme. Todo mundo deve alguma coisa"
Quando estava sendo investigado pela CPI do Futebol

"O que a justiça tem que entender é que o futebol brasileiro tem suas próprias leis"
Sobre a criação da Copa João Havelange e toda a polêmica envolvendo a decisão da Justiça para manter o Gama na elite do Brasileiro

Ele fica dentro do gabinete, com ar-condicionado, fazendo preces falsas para Jesus. Se estou falando do governador? É claro. O governador é falso e incompetente. O v… do governador acabou com o jogo. Ele manda no coronel, mas não no Vasco. É um frouxo!
Na final da Copa João Havelange, em 2000, quando, por ordem do então governador Anthony Garotinho, o jogo entre Vasco e São Caetano foi paralisado por causa da queda de um alambrado em São Januário

"A exemplo de como fizemos com a nossa taça da Libertadores, vamos passar novamente com a taça do Mundial pela Gávea quando voltarmos do Japão"
Provocando o rival após o título de 1998. Mas o Vasco acabou perdendo o Mundial para o Real Madrid por 2 a 1

"Futebol é coisa para homem que mantém distância um do outro. Por isso sou contra homossexual e mulher no futebol"
Sobre as disputas de bola em uma partida de futebol

"Não sei se tenho maior prazer numa relação sexual ou se quando ganhamos do Flamengo"
Sobre as vitórias nos clássicos

"Quem gosta de vara não sou eu, mas esse senador"
Em resposta ao senador Álvaro Dias (PSDB-PR), presidente da CPI do Futebol

"Tomaram chocolate. Eu dei os ovos de Páscoa para a torcida (do Vasco, antes do jogo) e o chocolate para eles (rubro-negros)"
Depois do 5 a 1 do Vasco sobre o Flamengo na final da Taça Guanabara de 2000, num domingo de Páscoa

"Vou contratar o Mansões!"
Brincando com o nome do atacante Cabanãs, então no América do México, que marcara três gols e eliminara o Flamengo da Libertadores de 2008

“A grande comparação é que estou aqui. O grande reforço do Vasco sou eu. Eu tenho crédito. Se eu digo que não vai cair, não vai cair. Não tem hipótese de rebaixamento”
Eurico se referiu a ele mesmo como se fosse o maior reforço do time, ta certo que o Vasco fez boas contratações como Nenê, Andrezinho e Jorge Henrique, mas pelo visto Eurico Miranda foi a “pior contratação” do ano.

“Você só morre quando morre. Então, nunca é tarde. Enquanto tem sopro, não morreu. Nunca é tarde, não tenho receio. Se eu tivesse receio por ser tarde, já teria feito”
Fazendo comparação do começo do campeonato com o fim, em que ele afirmava que o Vasco iria estar no topo da tabela, mas na verdade já estava tentando fugir do rebaixamento.

“Já falei que a palavra rebaixamento, aqui, é proibida. Se eu achar que o Vasco vai ser rebaixado, vou procurar o ponto mais distante da Sibéria e vou para lá”
A frase mais polêmica em relação ai rebaixamento do Vasco. Muitas pessoas pegaram no pé de Eurico por essa declaração, incluindo torcedores e jogadores dos times rivais.