Brasil de Pelotas x Vasco

Jorge Henrique em ação no primeiro tempo em Pelotas  (Foto: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br)

Daniel Bortoletto
05/11/2016
18:28
Rio de Janeiro (RJ)

O torcedor do Vasco terá um novembro tenso pela frente. Neste sábado, em Pelotas, o time de Jorginho perdeu para Brasil, que abriu a 34ª rodada da Série B apenas na 12ª colocação, por 2 a 1. Resultado que deixa a quase cativa posição do Cruz-Maltino no G4 novamente ameaçada, faltando quatro rodadas para o fim da competição.

Na terça-feira, em São Januário, qualquer resultado que não seja a vitória sobre o Luverdense pode colocar ainda mais em risco o acesso vascaíno para a elite em 2017.

A preocupação da torcida deve aumentar pelas seguidas atuações ruins do time neste segundo turno. A de Pelotas foi mais uma delas.  No primeiro tempo, o Vasco não criou uma chance clara de gol. Em compensação viu Martín Silva trabalhar logo no primeiro minuto, após um chute de longa distância. Era o cartão de visitas de Diogo Oliveira, camisa 10 do Brasil.

Depois deste lance, sobraram catimba, trombadas, entradas duras, atendimentos médicos e reclamações dos jogadores com o árbitro Paulo Henrique Salmazio. Faltou futebol. E ele só voltou a aparecer aos 26 minutos. Diogo Oliveira, novamente de fora da área, acertou um chutaço, sem defesa para o goleiro uruguaio do Vasco.

Em cobrança de falta, aos 45 minutos, Diogo Oliveira voltou a assustar Martín Silva. O fim do primeiro tempo, aos 50’, acabou sendo uma dádiva para os visitantes.

O intervalo fez bem ao Vasco. Com Thalles no lugar de Jorge Henrique, o time voltou mais ofensivo e muito mais ligado. Tanto que o empate não demorou a sair, com o jovem Douglas finalizando muito bem após jogada de Nenê. A partir daí o confronto ficou equilibrado, com os cariocas assustando jogadas de bola parada, enquanto os gaúchos foram ajudados, algumas vezes, por erros individuais dos defensores adversários.

Aos 30 minutos, o técnico Rogério Zimmermann tirou Diogo Oliveira, destaque do Brasil, e foi vaiado no Bento Freitas. Mal sabiam os revoltados que Marcos Paraná, o substituto, faria o gol da vitória aos 41 minutos. O Vasco reclamou de impedimento, mas a condição era legal.

Além do Luverdense, o Vasco ainda terá pela frente o desesperado Bragantino (no interior paulista), o Criciúma (em Santa Catarina) e encerrará a trajetória na Série B de 2016 em casa contra o Ceará.  Emoção de sobra para o Gigante da Colina na luta pelo acesso.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 2 X 1 VASCO

Estádio: Bento Freitas, em Pelotas (RS)
Data/hora: 5/11/2016 - 16h30 (de Brasília)
Árbitro: Paulo Henrique de Melo Salmazio (MS)
Auxiliares: Leandro dos Santos Ruberdo (MS) e Marcos dos Santos Brito (MS)
Renda/público: Não disponíveis
Cartões amarelos: Leandro Camilo, Washington (BRA) e Douglas, Madson (VAS)

GOLS: Diogo Oliveira 27'/1ºT (1-0), Douglas 3'/2ºT (1-1), Marcos Paraná 41'/2ºT (2-1)

BRASIL: Eduardo Martini, Weldinho, Cirilo, Leandro Camilo e Marlon; Leandro Leite, Felipe Garcia, Washington e Diogo Oliveira (Marcos Paraná 30'/2ºT); Jonatas Belusso (Nem 25'/2ºT) e Ramon. Técnico: Rogério Zimmermann.

VASCO: Martin Silva, Madson, Luan, Rodrigo e Julio Cesar; William (Bruno Gallo 19'/2ºT), Douglas, Andrezinho e Nenê; Jorge Henrique (Thalles intervalo) e Éderson (Junior Dutra 33'/2ºT). Técnico: Jorginho.