Jorginho no primeiro dia de coletiva do Vasco em 2016

Jorginho está de bem com a vida no comando do Vasco (Foto: Wagner Meier/Lancepress)

David Nascimento
26/04/2016
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

Jorginho chegou ao Vasco em agosto de 2015. De lá até os dias de hoje, o treinador vem fazendo em São Januário um trabalho para a história do clube. O Vasco chegou à terceira final consecutiva no Carioca. Ele conquistou o apoio dos torcedores e acumula recompensas (confira abaixo) para deixá-los contentes com o futuro depois da queda no Brasileiro.

Muitas das recompensas que o Vasco de Jorginho está conseguindo são históricas. A exemplo da atual série de 22 partidas de invencibilidade. O número não aparecia em São Januário desde 1993. Além disto, a sequência é a sexta melhor em jogos oficiais do Vasco em toda a história. Faltam somente dez jogos para superar a melhor sequência (31 partidas sem ser derrotado), conquistada pelo Vasco em 1977.

Na carreira como treinador, Jorginho passou por equipes como América, Ponte Preta e Flamengo. Não conseguiu nestas equipes, antes de chegar ao Vasco, trabalhos que entrassem para a história. Mesmo assim, Jorginho pregou humildade ao ser questionado sobre a maturidade que tem em sua profissão:

– Estou longe de chegar ao nível de Levir Culpi, Muricy, Ricardo Gomes... Eu quando parei de jogar não sabia o que queria. Estou caminhando, gosto de estudar muito, ver tendências táticas, movimentação, pressão no homem da bola, marcação alta... Mesmo quando perdemos a bola, temos de cinco a oito segundos para retomar atrás da linha da bola. Tenho muito para aprender.

O trabalho de Jorginho impressiona à diretoria. Neste Campeonato Carioca, por exemplo, seu time atuou por aproximadamente 1440 minutos e ficou atrás do placar somente em 21 deles – 19 contra o Friburguense e dois diante do Flamengo, em março. Isso se deve ao entrosamento e entendimento do elenco ao que é proposto por nos treinos.

Diante do Botafogo, na decisão do Carioca, Jorginho tem este trabalho como ponto positivo para o Vasco e sai na frente devido a isto. Credenciais que fazem a equipe chegar com força em tudo que precisar em 2016.

AS RECOMPENSAS

1. Três vezes
É a terceira final de Campeonato Carioca seguida do Vasco, algo que não ocorria desde 1999 a 2001.

2. De novo
Pode ser bicampeão estadual (não acontece desde 1992-93).

3. Sem perder
O Vasco pode ser campeão estadual invicto, o que não acontece desde o ano de 1992.

4. Marcas
22 jogos invicto, algo que não acontecia desde 1993. A atual série é a sétima melhor de toda a história do Vasco (contando amistosos). E a sexta melhor em jogos oficiais faltando dez jogos para superar a melhor sequência de 1977.

5. Local
O Vasco já está há 21 jogos invicto no Campeonato Estadual, considerando 2015.

6. Seis meses
O Vasco está há cinco meses e 24 dias sem perder uma partida (última foi em 1 de novembro de 2015, para o Fluminense). Se não perder amanhã para o Remo, pela Copa do Brasil, o time de Jorginho chegará a seis meses de invencibilidade.

7. Maior rival
O Vasco está há nove jogos sem perder para o Flamengo, fato que não acontecia desde 1951.

8. Clássicos
O Vasco está há seis clássicos sem perder, um retrospecto de deixar os maiores adversários Flamengo, Fluminense e Botafogo muito para trás.

9. Recompensa
O Vasco só teve uma derrota nos últimos 17 clássicos (para o Flu, no dia 1 de novembro de 2015). Contra o Botafogo, adversário da final do Carioca: cinco jogos sem perder, três vitórias e dois empates.

10. Defesa sólida
Dos cerca de 1440 minutos que esteve em campo no Carioca, o Vasco só esteve atrás do placar em 21 minutos (19 minutos contra o Friburguense e 2 diante do Flamengo).

11. Recompensa
O gol feito por Riascos que selou a vaga à final do Carioca foi o gol 1000 em Clássicos dos Milhões (desde 1923, com 493 gols do Vasco e 507 gols do Flamengo em 375 jogos).