Confira as melhores imagens da vitória do Vasco sobre o Santos (foto:Wagner Meier/LANCE!Press)

Nenê e Martin Silva são os nomes dessa reação do Vasco (foto:Wagner Meier/LANCE!Press)

Aurino Leite
30/11/2015
10:00
Rio de Janeiro (RJ)

O time não é dos melhores, nunca foi. Tanto que passou o Campeonto Brasileiro inteiro brigando contra o rebaixamento e vai para a última rodada (contra o Coritiba) ainda sonhando em se manter na elite. Mas este time, pelo menos nos últimos jogos (e o de ontem também, é claro), merece aplausos. Por que? Teve padrão tático? Nem tanto. Mas porque vem jogando com o coração. Aliás, com o coração de um gigante.

Por isso, merece ainda sonhar em se manter entre os grandes do Brasil em 2016. E a torcida, como vem fazendo, deve acreditar, deve continuar apoiando e, se possível, “invadir” o Couto Pereira domingo que vem. E esta reação vascaína atende por Nenê e Martin Silva.

Eles, sem dúvida alguma, incorporaram o tamanho do Gigante da Colina. Chamaram a responsabilidade e foram (são) os termômetros do time. Com eles, todo os outros jogadores foram atrás e, desta forma, deram uma outra cara ao time.

Jorginho e toda a comissão técnica também merecem aplausos, porque nunca entregaram os pontos e fizeram um bom trabalho nos bastidores, seja qual for o resultado em Curitiba na última rodada.

Apenas a diretoria não merece aplausos. Pelo contrário. Eurico Miranda e seus seguidores devem abrir os olhos e montar um time digno as tradições cruz-maltinas para 2016. O maior erro foi o “doutor” acender o charuto e achar que o título do Campeonato Carioca servia de parâmetro para a principal competição nacional. Não, não serviu.

Porém, torcida e jogadores, juntos, continuem acreditando!