Vasco x Brasil de Pelotas (foto:Cleber Mendes/LANCE!Press)

Nenê deixou a sua marca no jogo entre Vasco e Brasil de Pelotas no primeiro turno (foto:Cleber Mendes/LANCE!Press)

LANCE!
05/11/2016
06:05
Rio de Janeiro (RJ)

Com chances de voltar à liderança da Série B, o Vasco entra em campo neste sábado contra o Brasil de Pelotas, às 16h30, no estádio Bento Freitas. Além de ser importante para encaminhar o acesso cruz-maltino para a elite do futebol brasileiro, o jogo marca o duelo entre os dois principais artilheiros da competição: Felipe Garcia e Nenê. O atacante do time gaúcho é o goleador da Segundona, com 13 gols, enquanto o meia vascaíno vem logo atrás, com 12. Mais uma boa chance para o camisa 10 da Colina reencontrar o seu melhor futebol, brilhar e mostrar quem é o protagonista da competição.

Em caso de vitória em Pelotas, o Cruz-Maltino pode voltar a ser líder. Para isso acontecer, o Atlético-GO, que também joga hoje, precisa perder o clássico para o Goiás.

Além do grande número de gols, Nenê e Felipe Garcia têm mais uma coisa em comum: ambos não marcam há algum tempo na competição. O meia do Vasco não faz um gol há sete jogos, sendo a última vez na vitória por 3 a 2 contra o Oeste, no dia 10 de setembro. Já o artilheiro da Série B balançou a rede no empate em 1 a 1 do Brasil com o Tupi, no dia 24 de setembro, e agora está há cinco jogos em branco.

Depois de um primeiro turno avassalador, com direito até a três gols logo na partida de estreia na competição contra o Sampaio Corrêa, Nenê caiu muito de produção no returno, principalmente após a lesão que teve na coxa e a parada para a Olimpíada do Rio de Janeiro. O técnico Jorginho saiu em defesa do seu jogador e ressaltou que apesar da seca de gols, ele está bem em outras de suas funções.

- Claro que o Nenê é um meia-atacante e vai sempre se cobrar pelos gols. Mas o papel dele é colocar os jogadores na cara do gol. Ele está sendo muito efetivo na batida de faltas laterais, escanteios – disse Jorginho, destacando que toda essa cobrança em seu camisa 10 deve-se ao bom início e a repentina queda de produção de todo o time.

- Não é só questão do Nenê, mas com aquele brilhantismo que vinha com toda a equipe no início do campeonato, criou-se expectativa muito grande em cima de jogadores que tiveram queda de rendimento no segundo turno. Mas agora estamos subindo de produção – completou.

Nenê levou a melhor no primeiro turno

O meia Nenê tem uma boa recordação para motivá-lo para a partida de logo mais. Em seu duelo contra Felipe Garcia no primeiro turno da Série B, ele levou a melhor. O Vasco bateu o Brasil de Pelotas por 2 a 0, em São Januário. O camisa 10 deixou a sua marca com um belo gol, que abriu o caminho da vitória vascaína. O zagueiro Luan fechou o placar na etapa final.