Nenê - Vasco (Foto: Reginaldo Castro/L!Press)

Nenê marcou um golaço durante a vitória sobre o Palmeiras, domingo (Foto: Reginaldo Castro/L!Press)

João Matheus Ferreira
11/11/2015
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

Nenê chegou ao Vasco há três meses, mas parece estar há bem mais tempo. Visivelmente adaptado, o meia já se torna um símbolo da reação da equipe no Campeonato Brasileiro a cada rodada que passa. Quando foi contratado, porém, causou surpresa em muitos. Afinal, tudo foi resolvido em uma negociação que não durou mais de 40 minutos, no início de agosto.

Participaram das conversas o assessor especial da presidência, Eurico Brandão, o Euriquinho – filho de Eurico Miranda e voz ativa no futebol do clube desde o início da temporada –, o empresário Carlos Leite e o representante de Nenê, Gilvan Costa. Ao LANCE!, Euriquinho detalhou a negociação:

- Conversamos com o Carlos Leite e surgiu o nome do Nenê. Perguntei para o meu pai e ele aprovou. O Carlos (Leite) conseguiu o telefone do empresário e liguei. Em 20 minutos, apresentei a ideia e discutimos valores. Falei com o presidente de novo e ele autorizou. Liguei para o empresário novamente, mostrei que seria um símbolo para nós e que nossa meta era pagar em dia. Falei com o Nenê apresentei tudo. Ele quis encarar o desafio e acreditou.

O “desafio” se dividiu em duas partes: evitar o rebaixamento do Vasco, que naquela altura já fazia péssima campanha no Brasileirão, e mostrar aos brasileiros “quem é o Nenê”. Afinal, o meia estava há 12 anos no exterior e ainda não havia conseguido deixar a sua marca no Brasil.

- Foi bem tranquila e rápida, mesmo. Já tínhamos boas informações sobre a diretoria. O momento uniu duas coisas: o clube queria muito e ele queria voltar ao Brasil para mostrar quem foi o Nenê lá fora. Mostrar até para os filhos dele que eram mais novos quando foi para a Europa. Muitos não sabiam como ele iria retornar, mas está dando bastante certo - comentou Gilvan Costa.

CONTRATO ATÉ 2016 E CLÁUSULA SÓ PARA O EXTERIOR
Com as boas atuações nos últimos jogos do Campeonato Brasileiro, é natural que o meia Nenê desperte interesse de outros clubes para a próxima temporada. O jogador, no entanto, tem contrato com o Vasco até o fim do ano que vem e a única cláusula que liberaria uma eventual saída é em caso de proposta do exterior caso o Cruz-Maltino não tenha condição de cobrir.

Justamente por isso, o empresário de Nenê, Gilvan Costa, se mantém bastante tranquilo sobre o futuro do jogador, e garante que ainda não recebeu contatos.

- Não tem nada disso. É tudo especulação. Falam de Palmeiras, Atlético-MG e até de Grêmio, mas ninguém entrou em contato comigo. O Nenê está focado em um objetivo, que é livrar o Vasco do rebaixamento. Depois que atingir, e acreditamos nisso, a diretoria vai se pronunciar sobre a montagem do elenco para o ano seguinte. De repente vão querer uma extensão, aí com calma conversamos. Mas não dá para prever - disse.

A tendência é que Nenê não fique em caso de rebaixamento, até por questões orçamentárias. Talvez não seja interessante ao Vasco pagar mais de R$ 250 mil a um atleta para disputar a Série B. Se não cair, as partes devem se reunir para negociar a extensão contratual e um aumento salarial.

PERFIL 'DOS SONHOS' PARA MARKETING
Desde que chegou, Nenê tem a imagem bastante explorada pela diretoria do Vasco, já que além de ser um jogador "símbolo" para o time, ele também vem correspondendo dentro de campo. Para o gerente de marketing, Bernardo Pontes, ele tem o perfil de um futuro ídolo:

– O Nenê tem o perfil de atleta que todo marketing sonha em ter no elenco. É brilhante em campo e fora dele entende a importância comercial para o clube. Ele compra todas as iniciativas que propomos. Ele compra todas as iniciativas que propomos tanto é que lançou a corrente do "#EuEscolhiAcreditar" nas redes sociais por um pedido nosso e foi um grande sucesso. Nós nos preocupamos em sempre manter a a imagem dele ativa baseado nos princípios da construção do processo de gestão de imagem de um ídolo. E o Nenê tem todas as características pra isso.

Desde que chegou ao Vasco, Nenê disputou 19 partidas e marcou sete gols. O último foi na vitória sobre o Palmeiras, domingo passado, na capital paulista. Ele está pendurado com dois cartões amarelos e sentiu dores musculares na coxa esquerda depois de domingo, mas não preocupa.