Yago Pikachu e Nenê - Vasco x Oeste

Nenê está 100% para Vasco conseguir a classificação na Copa do Brasil (Foto: Jorge Rodrigues/Eleven)

David Nascimento
20/09/2016
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

Maior estrela do Vasco, o camisa 10 Nenê conversou com os jornalistas após o treinamento de segunda-feira, em São Januário. Nenê, que não vem apresentando o mesmo desempenho em relação ao primeiro semestre, garantiu estar 100% para nesta quarta-feira à noite, contra o Santos, buscar a vaga nas quartas da Copa do Brasil. O time carioca precisa vencer por 2 a 0 ou três gols de diferença para superar a derrota de 3 a 1 na ida.

– Impossível não é. No futebol, nada é impossível. É claro que será um jogo difícil, complicado, uma partida perigosa, mas estamos dentro de casa e confiamos bastante na força do nosso grupo - afirmou o camisa 10 Nenê antes de completar:

- Não podemos dar espaço para o Santos, temos que buscar pressioná-los o máximo possível e marcar o primeiro gol cedo. Depois, teremos que ir para cima em busca do segundo para fazer a diferença necessária para a garantia da classificação. Chego com 100% para esse jogo da Copa do Brasil.

Desde que chegou ao Vasco em agosto do ano passado, Nenê carrega o papel de protagonista da equipe em campo e torcedores esperam dele uma atuação para a história amanhã para que o sonho da Copa Libertadores siga vivo. Em 66 jogos com o camisa 10, o Vasco venceu 36, empatou 18 e perdeu 12. Ele fez 28 gols.

BATE-BOLA
Nenê


‘É o jogo do ano e a torcida nos ajudará muito’

A diretoria do Vasco diminuiu em R$ 10 o preço dos ingressos para que a torcida vá em peso a São Januário apoiar o time nesta quarta-feira. Qual é a importância deste apoio?
A presença da torcida é fundamental. Nós sempre dissemos isso, não é de hoje que falamos a importância de um estádio cheio, desde que estou aqui nós frisamos isso. Agora precisamos mais do que nunca. É o jogo do ano e realmente a força da torcida irá nos ajudar muito. Espero que eles venham em peso, fazendo de São Januário o Caldeirão que sempre foi.

O Vasco passou por um caso atípico. O espaço entre o jogo de ida e volta com o Santos foi de praticamente um mês. Neste período, o que tiveram a chance de estudar da equipe?
Temos que prestar mais atenção na bola parada deles, algo que sempre foi o nosso forte ao longo da temporada. É preciso concentração total, até para que uma coisa simples não atrapalhe todo o nosso trabalho. Não podemos dar espaço para os jogadores de meio-campo. Além disso, precisamos acreditar no nosso potencial.

O Vasco tem condições de conseguir superar a derrota por 3 a 1 no jogo de ida das oitavas?
Temos condições de virar o placar e conquistar a classificação. O time não estava obtendo resultados satisfatórios e ficou um tempo sem sua identidade, ou seja, de ter intensidade do primeiro ao último minuto e ser protagonista. Voltamos a fazer nos últimos dois jogos e precisamos continuar fazendo na busca dos nossos objetivos.

Sábado tem outro jogo importante pela Série B. Como o Vasco precisa lidar para se concentrar?
Precisamos saber virar o chip. Focar realmente no Santos, depois pensamos no Atlético-GO. A Copa do Brasil é a grande esperança.