LANCE!
13/06/2016
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

Ninguém contesta a importância de Nenê para o Vasco. O camisa 10 ficou fora de apenas duas partidas neste ano, e em ambas o time de Jorginho teve dificuldades. Na primeira, em fevereiro, contra o Friburguense, empatou em 2 a 2. No sábado, diante do Atlético-GO, perdeu por 2 a 1 e a invencibilidade de 34 jogos foi derrubada. Provando uma certa dependência vascaína em cima de Nenê.

Durante os 34 jogos, Nenê foi quem mais jogou: 33 vezes. Passando por Rodrigo (30 partidas), Luan, Julio Cesar e Jorge Henrique (29 cada). Após o revés do fim de semana, o técnico Jorginho tentou minimizar a ausência de Nenê como um dos principais pontos para que o Vasco não conseguisse manter a invencibilidade de quase oito meses.

– O Nenê é um jogador extremamente importante na nossa equipe. Tentamos fazer com que não ficássemos muito expostos, mas também com força ofensiva. A equipe teve muitas possibilidades. Poderíamos ter virado o jogo. Eu acho que mesmo sem o Nenê, tivemos todas as condições de vencer o Atlético-GO – disse Jorginho, antes de completar sobre forma do jogo:

– É uma forma diferente de jogar do Vasco sem o Nenê. Sabemos que o Nenê é um jogador extremamente criativo. E sem ele jogamos de uma forma diferente. O mais importante é que tenho uma equipe bem experiente. Eles nos próximos dois jogos naturalmente vão dar uma resposta em relação a isso.

O Vasco continua com crédito com os seus torcedores para a sequência da temporada. Uma derrota não apaga os mais de sete meses sem perder. Mas o fato de sem Nenê o time ter tido a pior atuação do ano preocupa. Uma dependência que começa a dar indícios de existir, e Jorginho tem que achar uma forma de não sofrer tanto sem o 10.