David Nascimento
24/06/2016
07:55
Rio de Janeiro (RJ)

Há algumas semanas, o técnico Jorginho reitera publicamente, em suas entrevistas coletivas, a necessidade de o Vasco contratar mais um centroavante para a sequência da temporada. Leandrão e Thalles, atuais do elenco para a posição, recebem elogios, mas o treinador quer três “9” no grupo. E o alvo atual da cúpula vascaína no mercado é Leandro Damião.

As conversas já iniciaram. O Vasco tem concorrência de outras equipes. Internamente, acredita-se ser um diálogo bem complicado pelos valores – o teto salarial em São Januário é de R$ 300 mil, e Damião recebia no Bétis praticamente o dobro. Há expectativa de definição para a próxima semana. Se não ter um retorno, o Vasco abdicará dele e começará a busca por outra alternativa.

Vale lembrar que Leandro Damião tem vínculo com o Santos por mais dois anos e meio, mas não está nos planos da equipe, o que o libera sem custos por empréstimo por um ano. Depois que foi definido o seu futuro no Bétis, o nome do centroavante já foi ventilado em muitos clubes, como Corinthians, Atlético-MG e Flamengo. O staff do jogador admite que há conversas com muitos clubes, apesar de não nominá-los, e ressalta que o dinheiro não será o principal fator para a definição do futuro.

O que pode favorecer ao Vasco para que a pedida salarial se adeque à realidade financeira de São Januário é a vontade de Leandro Damião em voltar a jogar rapidamente. No atual time comandado por Jorginho, chegaria para dividir a estrela com Nenê, atual camisa 10, e em um momento o qual Leandrão e Thalles não são considerados absolutos.

Desde a saída de Riascos em maio, quando retornou para o Cruzeiro, o Vasco está no mercado na procura por mais um centroavante. Grafite, do Santa Cruz, Luís Fabiano, do Tianjin Quanjian, da China, e Gilberto, que defendeu o clube ano passado e está no Chicago Fire, dos Estados Unidos. Porém, nos três casos, as partes não chegaram a acordo nos valores e as conversas encerraram.

O LANCE! entrou em contato com o empresário de Leandro Damião, Vinicius Prates, mas ele não respondeu aos questionamentos feitos até o fechamento desta edição.