David Nascimento
08/12/2016
06:00
Rio de Janeiro (RJ)

A ruptura no ligamento cruzado anterior do joelho direito em setembro afastou Marcelo Mattos dos campos neste fim de 2016. O contrato do volante era válido até dezembro, e de prontidão o presidente Eurico Miranda anunciou a renovação até o término de 2017. A assinatura está para ocorrer.
Em fase final de recuperação, Mattos falou com o LANCE! e abriu o coração. Emocionado, afirmou ter se sentido acolhido no Vasco:

– Você se sente seguro, acolhido vendo o presidente do clube chegar em coletiva logo após você ter se machucado e anunciar a sua renovação. Estou feliz com este gesto de carinho do Vasco e do Eurico. Mais uma vez o clube abre a porta para que eu dê sequência ao meu trabalho – disse o volante, que prometeu um 2017 ainda melhor:

– Estou procurando dar o meu melhor para tentar essa recuperação no prazo mínimo possível.

O histórico de lesões na carreira de Marcelo Mattos é grande. Dois exemplos: passou 2012 com dores no púbis e em 2014 no quadril. Ele revelou momentos de tristeza.

– Cheguei ao Vasco como quarta opção, mas com a minha dedicação agarrei a chance quando surgiu. Depois, bateu uma tristeza quando soube a notícia da lesão na clínica, e depois no carro, sozinho, pensando em tudo. Em nenhum momento pensei em desistir por conta da lesão – afirmou para completar:

– O ano de 2015 foi muito difícil para mim, saindo do Botafogo e seguindo para o Vitória. A cabeça também não estava legal para desenvolver o trabalho. Foram muitas mudanças em curto período. Nunca pensei em parar.

Marcelo Mattos fala de queda após sua saída

Em também entrevista exclusiva ao LANCE! na segunda, Jorginho, técnico do Vasco ao longo de 2016, elogiou bastante Marcelo Mattos dizendo que era um “jogador completo”. O volante foi questionado pela reportagem sobre este comentário e retribuiu o elogio ao ex-treinador do time de São Januário. Mattos falou ainda sobre a coincidência do time ter caído de produção após a sua saída:

– Nós conquistamos o Campeonato Carioca de forma invicta, fico feliz que o Jorginho tenha dito isso pelo reconhecimento do trabalho que tinha comigo no Vasco no dia a dia. Desde que cheguei ao clube fiz o meu melhor. Mas nós somos um grupo. Quando ganha não é só um ou dois, nem quando perde são todos. Não é porque fiquei fora que tudo mudou - afirmou antes de completar:

- É um conjunto de coisas. Infelizmente não deu certo o segundo semestre, tivemos muitas dificuldades. O mais importante é que o Vasco está na primeira divisão, podemos corrigir erros. Será uma Série A muito difícil. O Vasco tem de estar sempre lá em cima, ou é título ou é Libertadores. O ano de 2017 será grande para todos.

BATE-BOLA
Marcelo Mattos
Exclusivo ao LANCE!


‘Um ano para me reerguer’

Como você avalia o trabalho realizado em 2016?
A temporada de 2016 começou muito boa com o título invicto no Campeonato Carioca e uma sequência na Série B do Campeonato Brasileiro. Por fim acabei me lesionando. Foi um ano para me reerguer e buscar coisas novas. Só tenho a agradecer ao Vasco por isso. O meu ano no futebol se resume a isso. O meu trabalho e o meu empenho e a chance que o Vasco me deu para dar a volta por cima com confiança e carinho de todos.

Como foi o processo de cirurgia e recuperação nos últimos meses?
Depois da lesão, o Alex Evangelista (gerente científico do Caprres) entrou em ação para que o processo de recuperação fosse o mais rápido possível. Machuquei na segunda e na quarta fiz a cirurgia. Foi ágil. Estou tendo todo o apoio no Caprres, aproveitando o máximo que tem em máquinas, profissionais que estão lá. O Alex, Márcio, Ruffo, Rodrigo, tenho só a agradecer a dedicação deles. O pessoal da rouparia também que poderia estar de férias e está lá para deixar minha roupa. Vou me dedicar ao máximo para que tudo possa dar certo no final. O doutor Raphael Blum que fez a cirurgia muito bem feita. Agora é focar e seguir.