Jorginho - coletiva

Jorginho compara necessidade de deixar a alma em campo como no início do namoro (Foto: Paulo Fernandes/Vasco)

Vinícius Britto
27/11/2015
20:22
Rio de Janeiro (RJ)

Neste domingo, o Vasco faz o primeiro jogo dos dois que decidirão sua vida no Campeonato Brasileiro. Dependendo dos resultados de outros times, como Coritiba, Figueirense e Avaí, o Cruz-Maltino precisará vencer e, ao mesmo tempo, secar os rivais da parte inferior.

Quando perguntado sobre o fato do time depender de resultados dos outros e se isso frustava ele, Jorginho destacou que não. Ele lembrou do fato do time ter sido prejudicado pela arbitragem e valorizou o fato do seu time ter feito o possível para chegar vivo nesse final de ano.

- Não, não digo ser frustante. Claro que lamentamos alguns pontos perdidos que, sinceramente, nos prejudicaram. Principalmente em três jogos, contra Avaí, Chapecoense e São Paulo. Sabíamos que as coisas ficariam mais difíceis. Mas continuamos confiantes em fazer o melhor. Precisamos fazer tudo com o coração, com excelência - pediu o comandante.

Para comprovar sua tese, Jorginho usou como referência o seu casamento e a época em que seu namoro estava no início:

- Quando você queria conquistar sua esposa, colocava a melhor roupa. Quando eu conheci minha esposa, não tinha o que vestir e fazer... Era só um passeio e beijinho. Mas eu dava meu melhor. Procurava colocar meu melhor short, camisa.. Quando nós fazemos o nosso melhor, sabemos que não vamos nos arrepender. Com certeza, ficamos satisfeitos com o que entregamos. E eu ainda tenho muita esperança - destacou o treinador.

Neste sábado, o Cruz-Maltino irá fazer o seu último treino de preparação para a partida contra o Santos, em São Januário. A atividade, que será realizada na parte da manhã, será fechada para a imprensa.