João Mércio Gomes
21/03/2018
07:00
Rio de Janeiro (RJ)

O primeiro round contra o Botafogo, no último domingo, foi um aperitivo para o duelo desta noite, no Nilton Santos, desta vez valendo vaga na final da Taça Rio. Além de um jogo quente, com lesões e muitos gols, o empenho dos vascaínos até os últimos minutos rendeu a vitória ao Cruz-Maltino no clássico, que por pouco não teve um vencedor diferente. Aquela velha história: clássico é clássico e tudo pode acontecer. Mas para Zé Ricardo, a derrota não parece ser uma possibilidade real. O LANCE! explica.

Desde que assumiu o cargo de treinador profissional, em 2016, no Flamengo, Zé comandou 21 clássicos cariocas. Logo no primeiro, estreia com pé esquerdo e derrota. Depois, nos 20 clássicos seguintes, nenhuma derrota. São nove vitórias e onze empates contra rivais. Rei dos clássicos? 

- Não tem isso. Coincidências, estatísticas e retrospectivas fazem parte do futebol. Desde que me conheço como gente, torcedores e imprensa buscam isso. Logicamente a gente entra todo jogo para vencer, fazer o melhor. Mas a questão dos clássicos é apenas uma coincidência, não interfere em nada - diz Zé, fugindo do rótulo e explicando as dificuldades.

- Vai ser uma boa partida, todo clássico eh muito disputado,  não tem sido diferente aqui no Rio. Espero um jogo movimentado, e se conseguirmos fazer o que planejamos, podemos ter bom resultado. Clássico é imprevisível, tudo pode mudar durante o jogo. Temos que ter concentração em todos momentos.

Diferente do jogo de domingo, o Vasco entra para o confronto com a vantagem do empate para se classificar à final do turno. Mas Zé Ricardo nem pensa nisso antes da bola rolar. Ele admite a superioridade do Botafogo no primeiro jogo e explica a estratégia usada para vencer mais um clássico.

- É uma boa vantagem, sem dúvida, mas temos que imaginar ela só nos momentos finais do jogo. O Botafogo foi bem superior no segundo tempo, Pimpão teve chance e quase empatou. Se a gente pensar em entrar para empatar, as coisas tendem a complicar. Temos que ficar com a bola no campo do adversário que é a melhor maneira de mantermos o controle até o fim da partida.

LEMBRE:

Derrota marcante
O primeiro clássico de Zé Ricardo, ainda no comando do Flamengo, não foi dos melhores. Mesmo com time melhor e brigando pelas primeiras posições no Brasileirão, a equipe saiu derrotada para o Fluminense, em Natal, nos minutos finais. O zagueiro Rafael Vaz tentou recuar a bola para Alex Muralha e deu um presente para Richarlison, que limpou o goleiro e sacramentou o resultado

Rafael Vaz - Flamengo 1 x 2 Fluminense - Série A
Lembra desse passe? Rafael Vaz protagonizou a única derrota de Zé Ricardo em clássicos na carreira. Foi no Fla-Flu, em 2016

Flamengo
Depois da derrota, Zé enfrentou mais 15 clássicos com a camisa rubro-negra. Foram sete vitórias e oito empates, coroando com o título de campeão carioca em 2017. Venceu Abel Braga três vezes contra o Fluminense; Ganhou do Vasco duas, uma em São Januário e venceu do Botafogo em outras duas partidas.

Botafogo 3x3 Flamengo - Rodada 15, Campeonato Brasileiro
Pelo Flamengo, Zé Ricardo foi campeão carioca invicto e também não perdeu para os rivais no Brasileirão

Vasco
Na Colina, até agora, foram cinco clássicos. As duas vitórias foram em cima do Botafogo, adversário desta noite. Contra o Flamengo, ex-clube, os times não saíram do zero a zero no reencontro. O mesmo placar aconteceu contra o Fluminense, em mais um embate contra Abel Braga. Ainda aconteceu outra vitória sobre o Fluminense, mas não conta na estatística - Zé assistiu de camarote a vitória sob o comando do auxiliar Valdir Bigode.

Botafogo x Vasco - Rios
Com o Vasco, foram duas vitórias contra o Botafogo. Vem mais uma?
placeholder