Eurico Miranda - Eleição da Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Foto: Bruno de Lima/ LANCE!Press)

Dois dos principais desafetos de Eurico estão envolvidos nesta reta final (Foto: Bruno de Lima/ LANCE!Press)

João Matheus Ferreira
22/11/2015
09:50
Enviado especial a Joinville (RJ)

Quis o destino – palavra tão usada na rivalidade com o Fluminense – que a luta do Vasco contra o terceiro rebaixamento para a Série B esteja envolvido entre os principais desafetos do presidente Eurico Miranda neste primeiro ano de mandato: o rival tricolor e os clubes de Santa Catarina, graças ao embate com o presidente da Federação Catarinense de Futebol, Delfim Peixoto.

Nas três rodadas finais, o Cruz-Maltino encara apenas um time de Santa Catarina: o Joinville, na tarde deste domingo. No entanto, também neste domingo, Fluminense e Avaí se enfrentam em Cariacica, no Espírito Santo. Já o Figueirense encara a Chapecoense, que já não tem mais pretensões no Brasileirão, no Orlando Scarpelli. Na última rodada, novo encontro do Flu contra um catarinense: visita o Figueirense, em Florianópolis.

Em linhas simples, os dois principais desafetos de Eurico Miranda podem ser fundamentais para o rebaixamento do Cruz-Maltino, talvez até nesta rodada. Para isso, a combinação não é das mais difíceis. Tropeço com o Joinville fora de casa, vitória do Avaí sobre o Fluminense e triunfo do Figueirense em cima da Chapecoense. Se isso acontecer, o Vasco disputa a Série B no ano que vem.

A divergência com a diretoria do Fluminense é política: desde posições diferentes no Campeonato Carioca à disputa pelo lado direitos da cabines de rádio e TV do Maracanã. Já com Delfim Peixoto é pelo fato de Eurico ter acusado uma influência do catarinense sobre arbitragem após o polêmico empate com a Chapecoense, no Maracanã. Os dois trocaram farpas através da imprensa e foram julgados no STJD, mas não receberam nenhuma punição.