LANCE!
23/12/2016
14:23
Rio de Janeiro (RJ)

Camisa 10 do Vasco, Nenê pode encerrar uma era para 2017. Em coletiva na tarde desta sexta-feira em São Paulo, o jogador admitiu pela primeira vez a possibilidade de deixar o clube. O motivo seria a distância de seus filhos. O atleta, de 35 anos, retornou para o Brasil para ficar mais perto deles, mas no Rio de Janeiro não consegue como gostaria - a família mora na cidade de Jundiaí, interior de São Paulo.

- Sou feliz no Vasco. Só que a gente nunca sabe no futebol, o que pode acontecer ou não. Tenho contrato, mas não sabemos o dia de amanhã. Não posso afirmar se aceitaria ou não sair. Eu estou realmente com minha família, perto dos meus filhos, vim para o Brasil para isso. Seria um dos motivos que me faria sair. Voltei para o Brasil para ficar perto dos meus filhos e não estou conseguindo como eu gostaria - confessou.

No início desta temporada, Nenê sofreu assédio de outros clubes, como o Atlético-MG, mas o Vasco renovou o seu contrato por três anos - um já passou, a validade vai até o fim de 2018. Ainda durante a coletiva, o camisa 10 chegou a falar que chegou a comentar o assunto com o presidente Eurico Miranda, mas por ser fim de ano não foi resolvido. O LANCE! entrou em contato com a cúpula do Vasco, mas ainda não obteve retorno.

- Já tinha falado com o (presidente) Eurico (Miranda) uma vez, a gente tentou ver alguma maneira para resolver, mas já era fim de ano e não falamos mais. Estou me abrindo aqui, isso vai sair em tudo que é lugar, mas a realidade é essa. Minha prioridade é o Vasco, que foi o time que me abriu as portas, mas em relação pessoal, e não esportiva, poderia, sim, mudar (de clube) - finalizou o jogador.

Desde o início do segundo semestre do ano passado no Vasco, Nenê entrou em campo em 78 oportunidades (sendo 41 vitórias, 21 empates e 16 derrotas). No período, o meia balançou as redes adversárias em 30 oportunidades. Ídolo dos torcedores vascaínos, o camisa 10 quer resolver essa questão para se acompanhar ainda mais os filhos. A torcida do clube de São Januário espera que essa sinceridade siga, mas a era não termine.