icons.title signature.placeholder João Matheus Ferreira
icons.title signature.placeholder João Matheus Ferreira
30/08/2015
08:00

O ditado popular "agosto é o mês do desgosto" talvez nunca tenha sido tão verdadeiro como foi para o Vasco no Campeonato Brasileiro. O Cruz-Maltino começou o mês empolgado com a possibilidade de engatar uma sequência de bons resultados contra cinco adversários na luta contra o rebaixamento, mas acabou de forma trágica. Conseguiu apenas um ponto e sequer balançou as redes. Agora, se afunda na lanterna da competição.

Os adversários ao longo do mês foram Joinville, Santos, Coritiba, Goiás e Figueirense. O único ponto conquistado foi no primeiro deles, mas veio de forma frustrante, pois o 0 a 0 decepcionou os mais de 40 mil vascaínos que foram ao Maracanã no Dia dos Pais. Logo depois, quatro derrotas consecutivas, duas delas fora de casa, para Santos - que na época estava próximo à zona - e Goiás, e outras duas em casa, para Coritiba e Figueirense, ambas com gol nos acréscimos.

Neste meio tempo, o técnico Celso Roth foi demitido e Jorginho contratado. Na prática, nada mudou. Afinal, o novo comandante perdeu os dois jogos que disputou até agora, para Goiás e Figueirense. Em compensação, na Copa do Brasil o Vasco eliminou o rival Flamengo e avançou para as quartas de final neste mês.

- Temos que ter maturidade e frieza nesse momento. Não é fácil, mas quando perde um jogo como esse vem flashes na cabeça do que já aconteceu no ano. Temos que relembrar que sete ou oito dos que começaram o jogo foram campeões cariocas. Jogadores que estão acostumados com momento decisão, luta e dificuldades. Estamos motivando, cobrando aquilo que tem que cobrar. No momento que acontecer as coisas vão ficar mais fáceis. Se a gente fizesse o gol ficaria mais fácil, mas não vou desistir e acredito que vamos sair dessa situação - comentou o Jorginho após a derrota para o Figueirense.

Como resultado deste mês tenebroso, o Vasco está na última colocação do Campeonato Brasileiro, com apenas 13 pontos em 21 jogos e seis pontos de distância para o penúltimo colocado, o Joinville. As demais equipes da zona de rebaixamento jogam neste domingo. Ou seja, a situação pode ficar ainda pior.

O ditado popular "agosto é o mês do desgosto" talvez nunca tenha sido tão verdadeiro como foi para o Vasco no Campeonato Brasileiro. O Cruz-Maltino começou o mês empolgado com a possibilidade de engatar uma sequência de bons resultados contra cinco adversários na luta contra o rebaixamento, mas acabou de forma trágica. Conseguiu apenas um ponto e sequer balançou as redes. Agora, se afunda na lanterna da competição.

Os adversários ao longo do mês foram Joinville, Santos, Coritiba, Goiás e Figueirense. O único ponto conquistado foi no primeiro deles, mas veio de forma frustrante, pois o 0 a 0 decepcionou os mais de 40 mil vascaínos que foram ao Maracanã no Dia dos Pais. Logo depois, quatro derrotas consecutivas, duas delas fora de casa, para Santos - que na época estava próximo à zona - e Goiás, e outras duas em casa, para Coritiba e Figueirense, ambas com gol nos acréscimos.

Neste meio tempo, o técnico Celso Roth foi demitido e Jorginho contratado. Na prática, nada mudou. Afinal, o novo comandante perdeu os dois jogos que disputou até agora, para Goiás e Figueirense. Em compensação, na Copa do Brasil o Vasco eliminou o rival Flamengo e avançou para as quartas de final neste mês.

- Temos que ter maturidade e frieza nesse momento. Não é fácil, mas quando perde um jogo como esse vem flashes na cabeça do que já aconteceu no ano. Temos que relembrar que sete ou oito dos que começaram o jogo foram campeões cariocas. Jogadores que estão acostumados com momento decisão, luta e dificuldades. Estamos motivando, cobrando aquilo que tem que cobrar. No momento que acontecer as coisas vão ficar mais fáceis. Se a gente fizesse o gol ficaria mais fácil, mas não vou desistir e acredito que vamos sair dessa situação - comentou o Jorginho após a derrota para o Figueirense.

Como resultado deste mês tenebroso, o Vasco está na última colocação do Campeonato Brasileiro, com apenas 13 pontos em 21 jogos e seis pontos de distância para o penúltimo colocado, o Joinville. As demais equipes da zona de rebaixamento jogam neste domingo. Ou seja, a situação pode ficar ainda pior.