David Nascimento
16/07/2017
19:47
Rio de Janeiro (RJ)

Depois do empate sem gols do Vasco com o Santos na tarde deste domingo, ao invés do técnico Ednelson Silva (Milton Mendes estava suspenso) conversar com os jornalistas após o jogo, coube ao presidente Eurico Miranda falar com a imprensa. Mais uma vez, o mandatário reclamou da atuação da Polícia Militar e da cobertura do Grupo Globo.

- Fiz questão de dar a coletiva. Vou falar muito pouco do jogo. Se tivesse que ter um vencedor, deveria ter sido Vasco. Venho aqui registrar o meu protesto. A Globo e SporTV fizeram uma matéria tendenciosa, maliciosa. Eu sou contra entrevistas gravadas. O Vasco foi o primeiro a entrar na delegacia de policia pedindo para abrir inquérito. Apresentando queixa-crime - disse antes de completar sobre as confusões no clássico com o Flamengo:

- Uma atuação abusiva, temerária, excessiva, por parte da PM. Ela foi a grande responsável por tudo que aconteceu. Uma série de coisas que foram questionadas... Tudo que foi dessa matéria da Globo foi tudo ilações. Nada comprovado. Isso na véspera do julgamento por parte do Tribunal. Querendo colocar toda a culpa no Vasco. Não tínhamos interesse em nada que ocorreu.

Sobrou também reclamações para o Grupamento Especial de Policiamento em Estádios:

- O Vasco quer que tudo se esclareça. Se colocou desde o primeiro momento a disposição das autoridades. Reafirmo. Disse na Globo e agora digo a todos vocês. O Gepe não faz relatório na Ilha do Urubu. Tem gente do Flamengo lá. Vamos ter o julgamento nesta segunda-feira. Criar uma atmosfera de que o Vasco e a direção seria culpada? Eu teria estimulado?

Às 11h desta segunda-feira o Vasco vai a julgamento no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pelas confusões contra o Flamengo e pode pegar até 25 mandos de campo. Há a possibilidade também de outros jogos terem portões fechados. Neste domingo, Eurico Miranda afirmou que o prejuízo chegou a R$ 1 milhão.