HOME - Vasco x Bangu - Campeonato Brasileiro - Eurico Miranda (Foto: Armando Paiva/AGIF/LANCE!Press)

Eurico está confiante ainda em reverter a pena colocada para Rodrigo (Foto: Armando Paiva/AGIF/LANCE!Press)

LANCE!
15/04/2016
18:22
Manaus (AM)

Acompanhando o elenco vascaíno em Manaus, onde terá o clássico com o Fluminense, o presidente Eurico Miranda concedeu uma entrevista coletiva e criticou o Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro (TJD-RJ). O mandatário cruz-maltino não poupou palavras e considerou que houve parcialidade no julgamento que envolveu o zagueiro Rodrigo e o atacante Guerrero, do Flamengo.

- Não gosto muito de falar de decisões de tribunal. Aquela decisão (punição de Rodrigo e absolvição de Guerrero), você pode chamar do nome que quiser: esdrúxula, heterodoxa... Aquilo não contribui em nada ao futebol. Foi uma demonstração clara de parcialidade. Parecia uma festa depois. A presidente queria beijar o jogador, o outro queria beijar não sei quem... É um negócio que prefiro nem comentar. Não tinha dúvidas que teríamos o efeito suspensivo e também tenho certeza que essa penalidade do Rodrigo vai ser revertida - disse Eurico.

Os dois foram julgados por um desentendimento no clássico entre Vasco e Flamengo, na Taça Guanabara, em Brasília. No lance, Rodrigo deu um beliscão em Guerrero, que, logo depois, revidou com uma cotovelada. Por conta da atitude, o camisa 9 rubro-negro recebeu um cartão amarelo. O TJD-RJ, porém, absolveu Guerrero e deu um jogo de punição para Rodrigo - o enquadrando no artigo 258 (Assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportivo não tipificada pelas demais regras deste Código - pena: um a seis jogos de suspensão) por provocar o adversário.

Na manhã desta sexta-feira, o departamento jurídico do Vasco foi avisado de que o efeito suspensivo ao zagueiro havia sido concedido e ele está liberado para enfrentar o Fluminense, neste domingo.