Eurico Miranda (Foto: Paulo Sérgio/Lancepress!)

Eurico Miranda falou que clube tem trabalhado para quitar dívidas (Foto: Paulo Sérgio/Lancepress!)

LANCE!
04/03/2016
19:05
Rio de Janeiro (RJ)

Na semana em que patrocínios se tornaram pauta no Vasco, o presidente Eurico Miranda divulgou uma nota salientando que, em meio a boa fase dentro de campo no Campeonato Carioca, o clube luta para equilibrar as finanças. O atual mandatário cruz-maltino falou em sacrifícios para recuperar o equilíbrio dos cofres depois de 'irresponsabilidade dos últimos anos', segundo palavras dele. O mandatário fez questão de ressaltar que nestes primeiros meses de comando, uma das prioridades tem sido quitar dívidas e fazer com que novas não apareçam.

Após negociações nesta semana, o Vasco não renovou os contratos com a Viton 44, empresa que estampava a marca na manga da camisa do uniforme. Além disso, a renovação com a Caixa Econômica Federal é muito complicada, dando indícios de que a parceria pode ser rompida em breve.

"É preciso que todos conheçam o sacrifício para recuperar o clube da irresponsabilidade dos últimos anos. Só nos dois primeiros meses de 2016, o Vasco pagou cerca de 11 milhões de reais em acordos dos mais diversos, desde dívida com ex-jogadores, fornecedores, advogados e prestadores de serviços. O clube também recolheu quase 5 milhões de reais em contribuições e impostos, desde as obrigações atuais até os acordos do Profut. São recursos de grande monta para recolocar o Clube em condições plenas de funcionamento. E nos 15 meses de nossa administração as dívidas estão sendo pagas sem que o clube se endivide mais. Ou seja, pagamentos feitos praticamente apenas com as receitas geradas pelo Vasco".

Eurico Miranda lembrou também o adiamento da eleição presidencial de 2014, onde ele acabou campeão. O presidente vascaíno alega que tal alteração de data possibilitou manobras da gestão Roberto Dinamite, que se despedia da Colina.

"A maior parte deste sacrifício tem origem na irresponsabilidade administrativa da gestão passada e no adiamento da eleição de 2014, que possibilitou a assinatura de inúmeras Confissões de Dívidas que agravaram a situação financeira. É importante que todos saibam que este adiamento foi feito com a articulação de membros da atual oposição, que atuavam como linha auxiliar da antiga administração, e que agora dão declarações como se não tivessem nenhuma responsabilidade".

O mandatário recordou que o país passa por uma crise econômica e voltou a salientar a aposta no programa de sócios, recém-lançado pela diretoria, para que o Vasco tenha, em breve, uma vida melhor financeiramente. Eurico ressaltou também a força que São Januário pode ter nesse processo de fortalecimento do clube.

"O cenário econômico do país é de recessão, mas o Vasco acredita na forte relação com a sua torcida e no fortalecimento de São Januário. Falta pouco para a inauguração do CAPRRES, que será a maior referência em tratamento de atletas no Brasil, e também do campo anexo. São investimentos para o futuro do Vasco. Além disso, em ritmo de muito trabalho, estamos finalizando o lançamento do Gigante, o nosso programa de sócio torcedor. Já são 32 mil pré-cadastrados e um programa de relacionamento que vai atender ao nosso torcedor de qualquer ponto do país".