Eleição Vasco

Objetivo da ação do Vasco é validar novamente os votos da urna 7 da eleição (Foto: J RICARDO / AGENCIA FREELANCER

David Nascimento
12/01/2018
19:54
Rio de Janeiro (RJ)

A briga judicial que envolve a eleição presidencial do Vasco ganhou mais um fato. Nesta sexta-feira, o Cruz-Maltino entrou com mandado de segurança no Superior Tribunal de Justiça, em Brasília, para tentar mudar as decisões de do Tribunal de Justiça do Estado do Rio. A apelação em última instância tem como objetivo fazer com que os votos da urna 7 voltem a valer. Assim, a vitória passaria a ser novamente da chapa 'Reconstruindo o Vasco', de Eurico Miranda.

A ação tem como autores o Vasco e alguns sócios do clube. Depois de sucessivas negativas de recursos na esfera do TJRJ (1ª instância na 52ª Vara e 2ª instância na 17ª Câmara), Brasília é tentativa final da atual diretoria.

O mandato de Eurico Miranda na presidência do Vasco vai até o dia 16 de janeiro. Segundo manda o estatuto do clube, a eleição do Conselho Deliberativo, que vai eleger o novo presidente dos próximos três anos, deve ser convocada até o próximo dia 22. Porém, o presidente do Code, Luis Manuel Rabelo Fernandes, vem adiando a convocação dos conselheiros, mesmo com determinação da juíza Maria Cecília Pinto Gonçalves (52ª Vara Cível do TJRJ).

Com a decisão da Justiça de anular os votos da urna 7 da eleição, a chapa de Julio Brant tem o direito de levar 120 nomes para o Conselho, enquanto a chapa de Eurico Miranda terá 30 cadeiras. Eles se juntam a 150 conselheiros natos e vão eleger o novo presidente do Vasco.

placeholder