David Nascimento
11/06/2016
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

As histórias da família Cavaleiro e da invencibilidade do Vasco estão ligadas. Há sete meses, nascia o vascaíno Pedro, do casal Fernando e Mariana, e o clube iniciava a série de 34 jogos sem perder. Neste sábado, às 16h30, o Vasco pega o Atlético-GO, no Espírito Santo, e o pequeno Pedro, que ainda não viu o clube perder, ficará na torcida para a invencibilidade seguir. O site do LANCE! transmite em tempo real.

A última vez que o Vasco perdeu foi no dia 1 de novembro de 2015, para o Fluminense. Vinte dias depois, Mariana dava a luz a Pedro. O LANCE! visitou a casa da família na Zona Sul do Rio de Janeiro e Fernando, de 34 anos, falou da ação de ter o seu “nenê” também invicto. Ainda mais chegando a um momento especial, já que o Vasco pode igualar hoje o Expresso da Vitória de 1945/46, maior período do clube sem perder, incluindo amistosos.

– É uma invencibilidade que deixa toda a torcida do Vasco feliz. Desde que me conheço por gente sou torcedor do Vasco, meus avôs vieram de Portugal para o Rio de Janeiro na década de 10, de cara começaram a torcer para o Vasco, pelas tradições portuguesas, e seguiu assim a família toda. Meus avôs assistiram de perto o Expresso da Vitória e agora eu e meu filho temos a chance de ver a marca ser superada. É emocionante – disse Fernando, antes de completar sobre um pacto feito com a esposa – curiosamente, ela não torce pelo Vasco:

– Quando soubemos que o Pedro viria, tivemos um almoço na casa da família da minha esposa, só que ela e os familiares dela são torcedores do Fluminense. Eu combinei que ela poderia escolher tudo do nosso filho, menos o fato de ele ser Vasco. Eu não abriria mão disso. Ela concordou e comprei tudo do Vasco para ele. Hoje ele assiste os jogos comigo pela televisão, pois ainda é muito novo para ir a São Januário, e vibra muito. Até porque nunca viu o Vasco ser derrotado.

Quando o pontapé inicial for dado mais tarde, o torcedor do Vasco ao redor do mundo ficará ligado no Estádio Kleber Andrade. Caso não perca, o time de Jorginho iguala a série do Expresso e fará com que daqui a 30 anos, Pedro e outros vascaínos olhem para trás e relembrem terem feito parte da história.