Torcida do Vasco

Torcida do Vasco está para lotar São Januário no jogo desta quarta-feira (Foto: Arquivo LANCE!)

David Nascimento e Vinícius Perazzini
21/09/2016
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

“O Vasco é o time da virada, o Vasco é o time do amor”. Tradicional grito de incentivo da torcida vascaína, ele estará presente mais uma vez em São Januário nesta quarta-feira, às 21h45, quando diante do Santos, o Vasco precisará de uma bela reviravolta para avançar às quartas de final da Copa do Brasil. O site do LANCE! transmite em tempo real.

No jogo de ida das oitavas de final, o Vasco foi derrotado por 3 a 1. Para ficar com a vaga, os comandados de Jorginho precisam vencer por 2 a 0 ou três gols de diferença. Caso vença por 3 a 1, a decisão da classificado vai para os pênaltis. E não é de hoje que o time de São Januário busca missões consideradas bem complicadas por vagas.

Foi até por isso que em 1978 torcedores do Vasco resolveram adaptar o samba “A criação do mundo na tradição nagô”, de Neguinho da Beija-Flor no Carnaval daquele ano para o famoso “O Vasco é o time da virada”. O intérprete da canção, e também compositor ao lado de Gilson Doutor e Mazzin Mizamba, é torcedor do Flamengo, mas fez questão de agradecer ao Vasco.

– Agradeço a torcida do Vasco pela divulgação do samba. Ele já tem 38 anos, mas segue presente e forte até hoje graças ao canto da arquibancada. É uma divulgação da obra que me deixa honrado. Eu sou flamenguista, mas a torcida do Vasco é minha amiga. Eu agradeço de coração por terem usado minha música na história – disse Neguinho em conversa com o LANCE!.


Historiadores consultados pelo LANCE! não sabem dar certeza sobre a primeira vez que o grito foi cantado nas arquibancadas do Vasco, mas especula-se que tenha sido em 9 de setembro de 1979, em virada por 4 a 2 sobre o Flamengo no Campeonato Carioca. O tema é tão importante que o clube, nesta semana, lançou nas redes sociais a campanha #DiaDaVirada. O técnico Jorginho crê na possibilidade.

– A torcida está acreditando. Você entra concentrado, atento e encara o jogo como se fosse uma final. É fundamental que nós façamos esse tipo de partida, pois dessa forma São Januário se tornará de fato um Caldeirão. Acreditamos muito que é possível virar. Treinamos forte para fazer com que a equipe entre em campo bem encaixada – afirmou o treinador.

VIRADAS MARCANTES

2000
Na final da Copa Mercosul no Parque Antártica, o Vasco saiu no intervalo perdendo para o Palmeiras por 3 a 0, mas fez história ao nos 45 minutos finais virar a 4 a 3.

2007
Na Copa Sul-Americana, o Vasco perdeu o jogo de ida das oitavas, fora de casa, por 2 a 0 para o Lanús. Na volta, em São Januário, venceu por 3 a 0.

2011
Nas quartas da Copa Sul-Americana, o Vasco em São Januário, na volta, precisava vencer o Universitário por três gols. E fez 5 a 2.

BATE-BOLA
NEGUINHO DA BEIJA-FLOR
EXCLUSIVO AO LANCE!


‘Fico alegre de ver uma filha fazer sucesso’

Qual foi sua reação quando escutou a torcida do Vasco cantando pela primeira vez a letra?
Não lembro a data, mas fiquei muito feliz. Se fosse possível, gostaria de conhecer quem teve essa ideia, quem me proporcionou essa felicidade. Minhas músicas são como filhas para mim. E fico alegre de ver uma filha fazer tanto sucesso.

Qual é a importância deste samba para sua vida?
Sem sombra de dúvidas, é um dos sambas mais marcantes da minha vida. É como o “Domingo, eu vou ao Maracanã” (samba “O Campeão”), que é cantado por todas as torcidas.

“Domingo, eu vou ao Maracanã” tinha Vasco na letra?
Sim, em 1979. Um amigo pediu para compor uma música para torcida do Vasco. Eu fiz “Domingo, eu vou ao Maracanã, vou torcer pro Vasco que sou fã...”. Mas acabou que ele não usou na torcida e depois eu gravei o samba com “pro time que sou fã”.