RADAR/ LANCE! 
06/05/2016
17:01
Rio de Janeiro (RJ)

Independente de quem fique com a taça na mão, a certeza é de que a decisão do Campeonato Carioca trará um sabor inusitado dos lados de Vasco e Botafogo. Nos dois clubes há "vira-casacas" que já sentiram gostinho de comemorar um Estadual do outro lado, mas agora veem estas torcidas como adversários.

O LANCE! enumera abaixo quem pode ter títulos carioca dos dois lados do Clássico da Amizade.

ANDREZINHO (VASCO)

Contratado em 2015 e visto como um dos principais jogadores do Vasco, Andrezinho foi campeão carioca com o Botafogo. O meia, que estava desde 2012, também foi uma das referências da equipe no título em dois turnos de 2013.

JULIO CESAR (VASCO)

Lateral-esquerdo com passagem pelos quatro grandes do Rio de Janeiro, Julio Cesar deu a volta olímpica com a camisa do Botafogo no ano de 2013, quando o Glorioso foi campeão dos dois turnos. Após deixar General Severiano, chegou ao Cruz-Maltino em 2015, e vem sendo titular da equipe.

MARCELO MATTOS (VASCO)

Contratado neste ano pelo Vasco, Marcelo Mattos tem em seu currículo uma longa passagem por General Severiano (entre 2011 e 2015). O volante também esteve na equipe vencedora do Campeonato Carioca de 2013.

ANTÔNIO LOPES (BOTAFOGO)

Gerente de futebol de Botafogo há dois anos, Antônio Lopes coleciona várias passagens como treinador pelo Vasco. Em meio a estas idas e vindas, o "Delegado" viu o Cruz-Maltino faturar os Campeonatos Cariocas de 1982, 1998 e 2003. Além dele, outro ex-vascaíno faz parte da comissão técnica do Glorioso: o técnico Ricardo Gomes, que não chegou a ser campeão carioca com o Vasco.

A história do Clássico da Amizade ainda traz alguns jogadores que comemoraram títulos cariocas pelos dois clubes. Confira alguns deles abaixo:

DONIZETE (BOTAFOGO/1990 E VASCO/1998)

Em sua primeira passagem com a camisa do Botafogo, Donizete logo mostrou seu cartão de visitas: ajudou o time a levar o Campeonato Carioca de 1990, com a vitória por 1 a 0 sobre o Vasco. Oito anos depois, o Pantera foi contratado pelo Cruz-Maltino para formar dupla de ataque com Luizão, e não decepcionou: ajudou o clube a ser campeão estadual por antecipação.

MAURO GALVÃO (BOTAFOGO / 1989-1990, E VASCO / 1998)

Zagueiro de qualidade e cheio de títulos, Mauro Galvão ajudou o Botafogo a quebrar o jejum de 21 anos sem conquistas, com direito ao bicampeonato carioca de 1989 e 1990. Contratado pelo Vasco em 1997, o defensor ainda foi decisivo no ano seguinte: marcou o gol do título estadual, na vitória por 1 a 0 sobre o Bangu.

LUISINHO (BOTAFOGO, 1989/1990 E VASCO, 1992/1993/1994/1998)

Revelado no Botafogo, Luisinho ajudou o clube a por fim ao jejum de 21 anos sem títulos, com direito ao bicampeonato carioca de 1989 e 1990. Um ano depois, o volante foi para o Vasco, que lhe rendeu uma leva de títulos: além de um tricampeonato carioca inédito para a história do Cruz-Maltino, conquistado em 1992, 1993 e 1994, veio o Estadual de 1998.

JORGE LUIZ (VASCO, 1992/1993/1994, e BOTAFOGO / 1997)

Bom cobrador de faltas, Jorge Luiz fez parte da zaga do Vasco na campanha que levou ao tricampeonato carioca de 1992, 1993 e 1994. Três anos depois, o defensor desembarcou em General Severiano, e logo levou o Estadual de 1997, após o Botafogo superar o seu ex-clube.

CARLOS ALBERTO DIAS (BOTAFOGO, 1990, E VASCO, 1992/1993)

Revelado no Botafogo, Carlos Alberto Dias mostrou seu cartão de visitas em grande estilo: marcou o gol do título carioca de 1990, que conduziu o clube ao bicampeonato com a vitória por 1 a 0 sobre o Vasco. Dois anos depois, chegou ao Cruz-Maltino, e além de marcar o gol do título da Taça Guanabara, foi fundamental na conquista do Carioca por antecipação em 1992. Seguiu no clube no ano seguinte, e ainda faturou o bicampeonato estadual.

PAULO ROBERTO (VASCO, 1987/1988, E BOTAFOGO/1990)

Lateral-direito com categoria para cruzamentos e bolas paradas, Paulo Roberto ostentou a titularidade da camisa 2 do Vasco no bicampeonato carioca de 1987 e 1988 (ambas, em decisões sobre o Flamengo). Depois de deixar São Januário, foi parar no Botafogo e logo garantiu mais um título carioca: foi lateral-direito em 1990, na decisão em que a equipe bateu o Cruz-Maltino.