Nenê (Foto: David Nascimento/LANCE!Press)

Nenê falou com a imprensa nesta quarta, dia seguinte à assinatura de contrato (Foto: David Nascimento/L!Press)

David Nascimento
20/01/2016
12:58
Enviado especial a Pinheiral (RJ)

Não demorou muito para Nenê conquistar a torcida do Vasco, que já o considera ídolo. Porém, o experiente meia, de 34 anos, que assinou na terça-feira a renovação do contrato com o clube até o fim de 2018, ainda vê pela frente um longo caminho até conseguir chegar neste posto. No treino da manhã desta quarta-feira, em Pinheiral, no sul do Rio de Janeiro, o jogador abriu o coração e falou de todos os assuntos. Foi tietado pelos torcedores presentes no CT João Havelange, que assistiram a um animado recreativo comandado por Jorginho, fez projeções e pagou a aposta para Diogo Silva.

- Demorou um pouco, uma semana de espera para a assinatura, até porque tudo foi resolvido e estávamos vindo para cá na pré-temporada. Mas o importante que chegou, assinei, estou muito feliz e honrado para representar este clube maravilhoso. O Vasco representa muito para mim em pouco tempo. Até a própria torcida, a consideração que eu tenho com a minha dedicação, isso não tem preço e pesou muito na minha decisão de ficar - afirmou Nenê, que aproveitou para falar sobre o status "ídolo":

- Eu ouço isso de muitas pessoas, pelo meu caráter, por ter ficado diante de tantas propostas. Me darem essa condição de ídolo... São poucos que conseguem. Me sinto honrado, e vamos lutar para isso. Acho que é uma coisa natural. Espero que eu seja realmente um dia considerado um ídolo do Vasco. Ainda não me considero, mas sinto isso da torcida. Isso que importa. Espero um dia sair essa sensação de mim mesmo.

Nenê ainda aproveitou para falar da aposta com o goleiro Diogo Silva. No treino de terça-feira, o meia realizou 15 cobranças de falta com barreira e precisava acertar seis. Entretanto, acertou apenas três, a metade. E como "castigo", teve que servir o companheiro no almoço, sendo por um dia "garçom" também fora das quatro linhas.

- Sou um bom pagador, é saber perder, fui o garçom e servi o almoço sim (risos). É legal esse tipo de competição sadia, depois do treino ele estava cansado. Diogo Silva mandou bem na defesa e mereceu que eu pagasse a aposta - destacou e ainda disse projeções para a temporada e da identificação com os torcedores:


- O Carioca certeza, temos que entrar de igual para igual. Estamos fortes. Brasileiro é obrigação de subir esse ano e Copa do Brasil vamos com tudo para conquistar esse título. Temos que entrar com esse pensamento. Sobre a identificação, foi uma coisa que realmente bateu. Eles comigo e eu com eles. Olharam o respeito com o profissional que eu sou. Dei a cara, fiz o meu melhor e isso contou com a maior vontade possível. Eles viram e eu senti isso deles. Uma coisa apaixonante, a maneira que olham as coisas, a paixão do torcedor do Vasco com o clube me marcou muito.

O Vasco volta a treinar na tarde desta quarta-feira, mas ainda não foi decidido pela comissão técnica se será liberada a presença da imprensa.