Eurico Miranda (Foto: Paulo Sérgio/Lancepress!)

Eurico Miranda recusou oferta da Caixa (Foto: Paulo Sérgio/Lancepress!)

Matheus Babo
02/03/2016
13:40
Rio de Janeiro (RJ)

Conforme o LANCE! antecipou na última sexta-feira, o Vasco iria definir a situação dos dois patrocinadores nesta semana. Nesta terça-feira, o clube acertou uma rescisão amigável com a Viton 44. Um dia depois, a negociação com a Caixa também não deve acontecer. A estatal notificou o clube para encerrar a exposição da marca e as negociações foram encerradas, mas o clube não vai confirmar. Só uma intervenção política, como da presidente Dilma, por exemplo, pode mudar o caso.

Dentro de São Januário, a conversa é de que o Vasco não aceitaria uma redução nos valores do antigo contrato. A estatal pagava ao Cruz-Maltino a quantia de R$ 15 milhões por ano e ofereceu uma redução de 50% para 2016. A diretoria vascaína considerou a oferta absurda e decidiu por recusar e buscar um novo patrocínio para estampar a camisa do clube.

Desde que começaram as conversas para renovar o contrato em 2016, houve um impasse entre as duas partes sobre valores. O Vasco alegava que na administração passada o clube não tinha força política para negociar mais transmissões pela TV aberta, uma boa fonte de receita. A Caixa alegou o resultado ruim do time em campo na última temporada para querer diminuir o valor do patrocínio. O clube usou a comparação dos resultados dos cinco primeiros meses de 2014 e 2015 para barganhar. Já que em 2015 o time teve mais êxito neste período. A alegação do banco federal é de que a exposição será menor.

APOSTA NO SÓCIO-TORCEDOR

Sem patrocinadores na camisa, o Vasco agora busca novos parceiros para 2016. A grande aposta para gerar receitas durante este período sem patrocinadores será o Gigante, programa de sócio-torcedor do clube que já tem 32 mil torcedores pré-cadastrados e que terá início no próximo dia 28 de março.

* Atualizada às 15h33