RADAR / LANCE!
03/05/2016
12:25
Rio de Janeiro (RJ)

A história das decisões do Campeonato Carioca é marcada por superioridades e por mudanças de rotas ligadas ao que o primeiro jogo de cada final encaminhou. E cada clube tem muita história para contar em relação à "vantagem": 

Às vésperas de Vasco e Botafogo fazerem o segundo jogo da decisão (na qual basta um empate para o Cruz-Maltino ser campeão), o LANCE! traz um retrospecto das rotas que cada decisão tomou. Confira!

1997 - FOGÃO DITA O RITMO DO TÍTULO 

Embora tivesse entrado em vantagem na final, o Botafogo viu o Vasco sair na frente no jogo de ida no Maracanã. Com gol de Ramón e provocação de Edmundo fazendo a "Dança da Bundinha", o Cruz-Maltino foi para o jogo decisivo podendo empatar. Porém, o Glorioso se firmou e conduziu a dança de campeão, ao vencer por 1 a 0 o jogo de volta, com gol de Dimba.

1999 - RODRIGO MENDES INICIA SÉRIE DE TÍTULOS DO FLAMENGO

Podendo jogar por dois empates para levar o Carioca, o Vasco abriu o placar no jogo de ida, com Edmundo, mas no segundo tempo, Fábio Baiano igualou o marcador. Após uma segunda partida para lá de equilibrada (na qual a equipe viu Romário se machucar no início do jogo), uma cobrança de falta de Rodrigo Mendes parou no cantinho do gol de Carlos Germano, garantindo o título do Rubro-Negro.

2000 - MENGÃO COMPROVA VANTAGEM EM CAMPO E É BICAMPEÃO

O Flamengo não teve piedade da vantagem de dois empates do Vasco, e chegou ao bicampeonato carioca em grande estilo. Logo de cara, Athirson, Fábio Baiano e Beto garantiram o triunfo por 3 a 0. No segundo jogo, Viola abriu o placar, mas Reinaldo de Tuta viraram o marcador, e a volta olímpica veio com vitória por 2 a 1.

2001 - A ODISSEIA DO TRI DO FLAMENGO  

A vantagem com a qual o Vasco entrara na final ficou ainda maior na primeira partida: após Petkovic abrir o placar para o Flamengo, Viola e Juninho Paulista deram a vitória por 2 a 1 na ida, e o direito da equipe ser campeã mesmo se perdesse por um gol. Com dois gols de Edílson para o Rubro-Negro e um de Juninho Paulista para os Cruz-Maltinos, o placar vinha se repetindo até os 43 minutos do segundo tempo. Até que Petkovic, em uma cobrança primorosa de falta, conduziu o Mengão ao tricampeonato sobre o maior rival.

2002 - FLUZÃO PASSEIA NA FINAL

Em Campeonato Carioca polêmico e conhecido como "Caixão", o Fluminense voltou seu foco para os gramados e não tomou conhecimento do Americano. No primeiro jogo, o ídolo Marcão e Roni garantiram a vitória por 2 a 0. O título veio com um 3 a 1, com gols de Roni, Flávio e Magno Alves (Washington marcou para os campistas).

2003 - VASCÃO DÁ A LETRA DE QUEM TEM VANTAGEM

A vantagem também foi garantida na final do lado cruz-maltino. Em jogo disputado no meio de semana, Marcelinho Carioca e Souza abriram o placar para o Vasco, e Alex Oliveira diminuiu, no triunfo por 2 a 1 na ida. Na partida de volta, Souza abriu o placar para os vascaínos, Ademílson igualou e, em jogo nervoso, um lançamento de letra de Léo Lima e jogada de Cadu culminou em novo gol de Souza: 2 a 1 e festa.  

2004 - MAIS UMA VEZ, FLAMENGO SUPERA O VASCO EM DOSE DUPLA

A conquista do Flamengo sobre o Vasco novamente foi comprovada com vitórias. No jogo de ida, Rafael e Fabiano Eller fizeram os gols rubro-negros, e Coutinho descontou para definir o placar em 2 a 1. O segundo jogo até trouxe um esboço de mudança de ares, quando Valdir abriu o placar para o Cruz-Maltino, mas Jean marcou três vezes, decretando o 3 a 1 e o título do clube da Gávea

2005 - FLUMINENSE ROUBA VANTAGEM NOS ACRÉSCIMOS

Surpresa na final do Campeonato Carioca, o Volta Redonda mostrou que não estava para brincadeira ao vencer por 4 a 3 o Fluminense no jogo de ida e ter a vantagem do empate. Em uma decisão emocionante, o Tricolor das Laranjeiras lutou muito, e garantiu a vitória por 3 a 1 somente aos 47 minutos do segundo tempo, com gol de cabeça de Antônio Carlos.

2006 - BOTAFOGO ESPANTA ZEBRA EM DOIS JOGOS

Novamente, um grande teve uma zebra pela frente e não decepcionou. O Botafogo abriu 2 a 0 no primeiro jogo da final contra o Madureira e, na partida de volta, garantiu o título com dois gols de Dodô e um de Reinaldo (Fábio Júnior fez o do Madura).


2008 - MENGÃO É IMPIEDOSO COM O BOTAFOGO

Assim como no ano anterior, o Flamengo encontrou o Botafogo da final, mas, desta vez, não precisou de pênaltis para se sobressair. No primeiro jogo, Obina encaminhou a vantagem com uma vitória por 1 a 0 no primeiro jogo. Lúcio Flávio chegou a esboçar uma reação do Alvinegro no segundo jogo, mas coube a Obina, por duas vezes, garantir a virada, que foi comprovada de vez com Diego Tardelli.

2012 - FLUZÃO PASSA POR CIMA DO BOTAFOGO

Renato chegou a abrir o placar para o Botafogo, com gol de Renato mas, já na primeira partida, o Fluminense foi construindo aos poucos seu título: Fred, Rafael Sóbis (2) e Marcos Júnior decretaram a goleada por 4 a 1. O jogo de volta trouxe a vitória por 1 a 0, com Rafael Moura comprovando vantagem tricolor.


2014 - COM POLÊMICA, FLAMENGO COMPROVA VANTAGEM

O reencontro de Flamengo e Vasco deu o que falar. Desta vez, foi o Rubro-Negro que jogou pelo empate, e o Cruz-Maltino abriu o marcador no jogo de ida, com Rodrigo, mas viu o adversário empatar em 1 a 1, com Paulinho. Na partida de volta, Douglas marcou de pênalti para o clube de São Januário mas, nos acréscimos, em um gol irregular, Márcio Araújo deu o título ao Fla.



2015 - VASCO RATIFICA VANTAGEM EM DUAS VITÓRIAS

A vantagem inicial de dois empates do Botafogo mudou de lado na reta final da primeira partida: o gol de Rafael Silva decretou o 1 a 0, e o clube de São Januário ficou a um empate do título. Mas o Cruz-Maltino foi além: abriu o placar com Rafael Silva e, após Diego Jardel igualar, ainda conseguiu o gol da vitória nos acréscimos, com Gilberto.


Em 1996, 1998, 2010, 2011 e 2013, não foi necessária final para conhecer o campeão carioca. Em 2007 e em 2009 Flamengo e Botafogo empataram os dois jogos por 2 a 2 e decidiram nos pênaltis, com os flamenguistas ficando com o caneco nas duas ocasiões.