Projeto do CAPRRES

Projeto do Caprres será feito em parceria com a Ambev (Foto: Reprodução/Facebook)

Felippe Rocha
05/11/2015
17:39
Rio de Janeiro (RJ)

Em meio à fase terrível do Vasco no futebol, o clube recebe bons ventos. Foi apresentado, nesta quinta-feira, o projeto do espaço físico do Caprres (Centro avançado de prevenção, reabilitação e rendimento esportivo) do Vasco. Esta sigla complexa é o centro de saúde, que já vem funcionando de maneira improvisada em São Januário. Ainda este mês será iniciada a obra que terá 600m², o custo superior a R$ 2 milhões e com tecnologia que promete estar na vanguarda mundial. A construção será em parceria com a Ambev. A promessa é de que em abril do ano que vem será feita a inauguração.

- Dia de orgulho para o vascaíno. Desde que voltei ao Vasco, assumi o compromisso de recuperar o complexo de São Januário, tão abandonado nos últimos anos. Isso vem acontecendo, mas esse investimento nos coloca na vanguarda do esporte. O mais moderno. E construído dentro de São Januário. O que se consolida hoje vem sendo pensado há um ano. A filosofia foi implantada, os equipamentos foram comprados. E agora esse passo adiante - explicou o presidente do Vasco, Eurico Miranda - sem perder a oportunidade de alfinetar a gestão de Roberto Dinamite - em discurso lido, ao contrário do que costuma ocorrer. Segundo o dirigente, o objetivo era ser "formal".

O manda-chuva do Caprres é Alex Evangelista, coordenador científico do Cruz-Maltino, que fez a apresentação técnica do espaço. O espaço, de dois andares, será construído onde hoje é o estacionamento utilizado por jogadores e comissão técnica. A tecnologia inclui temperatura ideal para a recuperação, aparelhos e até macas desenvolvidas de maneira a recuperar a saúde dos atletas. Dentre os equipamentos, há uma piscina com câmeras, para que seja visualizado, através de um monitor, o movimento a ser corrigido. Um aparelho que também foi destacado foi a "Máquina da Nasa", uma esteira que utiliza controle de gravidade para até reduzir o peso do atleta.

- Viajando pelo Japão, pela seleção da Alemanha, em 2006, e pela NBA, recebemos alguns conceitos e aplicamos de maneira única aqui no Vasco - explicou Alex Evangelista, que afirmou não haver como especificar quanto de redução de lesões o clube vai ter, mas garantiu que o número já é menor, em comparação aos concorrentes do país.

Ao final da apresentação, que não foi aberta a perguntas, Eurico desprezou o momento da equipe, que é lanterna do Campeonato Brasileiro. Com 30 pontos, o Cruz-Maltino precisa de, pelo menos, quatro vitórias nos últimos cinco jogos que faltam para o fim da competição.

- Para mim, não acabou. Continuo acreditando. Ponto. O resto tudo é firula - resumiu.

O mandatário ainda se vangloriou dos feitos nos bastidores, numa nova crítica a Roberto Dinamite. E as frases de efeito não foram esquecidas ao lembrar as tais dívidas pagas.

- Em 11 meses de gestão, tivemos que pagar, desembolsar mais de R$ 70 milhões de dívidas herdadas. Isso é o milagre vascaíno. Só o Vasco consegue. O futuro se apresenta radioso. Principalmente com a concretização desta obra - finalizou.