Leonidas da Silva

Lavor vibra no dorso do ganhador – Foto: Gerson Martins

Fernando Lopes
09/10/2016
17:16

Animal tido em altíssima conta por seus responsáveis desde a estreia, agora, aos 4 anos, Leonidas da Silva vai abrindo carreira e mostrando todo seu potencial. Conduzido com maestria por Carlos Lavor e apresentado perfeitamente por Roberto Solanés – em semana auspiciosa, venceu o GP Jockey Club de São Paulo (G1) com Salto Olímpico (Haras Regina), ainda conquistando o terceiro lugar no mesmo páreo com Olympic Galaxy (Haras Regina) e o segundo no GP Henrique de Toledo Lara (G1), através de Pista Olimpica -, Leonidas da Silva ganhou o Grande Prêmio Antonio Joaquim Peixoto de Castro (G2). A carreira, atração central da jornada deste domingo, 09 de outubro, no Hipódromo da Gávea, é uma justa homenagem do JCB ao fundador de Fazenda Mondesir, um dos grandes criadores e proprietários da história do turfe nacional.

Com os forfaits antecipados de Drollig (Stud H&R) e Eleito (Stud Rio Dois Irmãos) apenas cinco competidores alinharam na seta da milha e meia e tiveram ótima largada. Voluntarioso, Lohengrin Turc (Stud Correas) assumiu rapidamente o comando das ações. O favorito Demon Master (Stud Escorial) acompanhou o ponteiro, com Frisson (New Generation Stud), Discreto Belo (Stud Giacomo) e Leonidas da Silva (Stud Correas) vinham a seguir. Sem alterações no panorama os competidores chegaram à reta oposta com Lohengrin Turc mostrando o caminho e Demon Master em seu encalço, não deixando o rival galopar à vontade. Frisson era o terceiro, seguido por Discreto Belo e Leonidas da Silva. Na grande curva, Demon Master já apertava o cerco sobre o ponteiro Lohengrin Turc. Frisson, de galope, erz o terceiro. Leonidas da Silva, balançado, era o último, dois, três corpos atrás de Discreto Belo.

Na hora da verdade, quando o filho chora e a mãe não vê, Demon Master entrou dominando a situação. Lohengrin Turc já dava por cumprida sua missão e “pulava no mesmo lugar”. Com seu jóquei “a tiracolo”, Frisson passava para segundo e emparelhava com Demon Master. Discreto Belo, vinha perto, mas não mostrava força para vencer. Leonidas da Silva, trazido na hora exata por Carlos Lavor, começava a descontar bastante, pelo meio de raia. Demon Master resistiu a Frisson e chegou a dar impressão de triunfo. Entretanto, embalado, Leonidas da Silva engrenou forte atropelada e alcançou Demon Master nos últimos metros para colocar o primeiro laurel nobre em seu cartel. Frisson, Lohengrin Turc e Discreto Belo completaram o marcador.

Treinado por Roberto Solanés no Centro de Treinamento Verde e Preto, Leonidas da Silva é um 4 anos, filho de Manduro e Rastacuera, por Val de Grace, criado pelo Stud Ubary e de propriedade para o Stud Correas. No seu quinto êxito, o primeiro clássico, em treze saídas, Leonidas da Silva assinalou para os 2.400 metros, em pista de grama pesada, 2min36s63.