icons.title signature.placeholder Gabriel Carneiro
15/11/2013
07:01

Apresentado com pompa no anfiteatro do Parque São Jorge, em março do ano passado, o chinês Chen Zizao não seguirá no elenco do Corinthians em 2014. Sem render no marketing e nem dentro de campo, onde praticamente não teve oportunidades, o camisa 35 do Timão é aguardado pelo Shangai Shenkin, onde cumprirá seu contrato normalmente após o fim do empréstimo ao clube brasileiro.

Em entrevista ao LANCE!Net, o empresário Flávio Pires, que já foi representante de Zizao no Brasil e hoje fala em nome do clube chinês, admitiu que o Corinthians tentou uma aproximação para estender o empréstimo, mas recuou quando soube que o Shenkin estava cobrando R$ 2,2 milhões por 50% dos direitos econômicos. Nesse cenário, o meia-atacante está fora do Timão e do futebol brasileiro na próxima temporada.

- Ele vai voltar para a China no fim do ano. Está definido. Queremos esse retorno pensando na seleção chinesa, em mais convocações. Como estava emprestado, ele volta para o mesmo clube, porque não há possibilidade de ficar no Brasil. A tendência é treinar até dezembro, cumprir o resto do contrato, e ir embora no fim do ano - avisou o empresário do chinês.

Reforço do departamento de marketing, que tinha a intenção de ampliar a marca Corinthians no mercado chinês, Zizao entrou em campo apenas quatro vezes desde março de 2012, sendo três no Paulistão desse ano, quando os titulares ainda estavam de férias. Na primeira rodada do Estadual, inclusive, o chinês chamou atenção com pedalada e assistência contra o Paulista de Jundiaí.

Depois, ficou no banco em raras oportunidades e virou notícia só por causa das lesões e do namoro que engatou com a compatriota Gui Lin, que joga tênis de mesa pelo Palmeiras.

No último sábado, Zizao foi liberado pelo Corinthians por dez dias para resolver problemas particulares. Após o retorno, o chinês deverá ficar treinando no CT Joaquim Grava, mas sem receber chances, já que a comissão técnica não o vê no mesmo nível de competitividade dos companheiros. A adoração da torcida, nesse caso, não surtirá efeito.

- Ele foi resolver esses problemas particulares, mas volta. Foi uma bagagem importante que ele adquiriu no Brasil. Mas acabou.