icons.title signature.placeholder LEONARDO PEREIRA
07/07/2014
15:51

Os alemães estão cada vez mais incorporados ao Brasil. Depois de encontro com índios, samba e capoeira, a seleção estará vestida com as cores do Flamengo nesta terça-feira, contra os anfitriões, no Mineirão. O segundo uniforme é inspirado no Mais Querido. Nesta segunda-feira, em evento promovido pela Adidas, o maior ídolo do clube carioca, Zico, fez um apelo para que os rubro-negros indecisos não se confundam na hora da semifinal da Copa do Mundo.

- Os torcedores ficaram felizes com a homenagem. Só que a Alemanha não é Flamengo. E Brasil está acima de qualquer coisa. Amanhã, não tem homenagem. É Brasil x Alemanha - decretou o Galinho, campeão mundial, continental e tetracampeão nacional pelo clube do Rio de Janeiro.

Por falar em inspiração, segundo Zico, a Seleção Brasileira terá de se espelhar nos exemplos de Colômbia e França para superar a ausência de Neymar nas duas últimas partidas da Copa do Mundo.

- Toda seleção precisa superar grandes ausências. A Colômbia não teve Falcao e fez uma grande Copa. A França também perdeu o principal jogador. Foi uma pena. Todos lamentaram. É preciso fazer com que entendam a importância de Neymar para a equipe. Que cada jogador do Brasil coloque um Neymar que existe dentro de si.


O craque verde-amarelo levou uma joelhada do lateral-direito Zúñiga durante vitória da Seleção sobre a Colômbia por 2 a 1, na última sexta-feira, no Castelão, pelas quartas de final do Mundial. O camisa 10 teve uma fratura transversa na terceira vértebra lombar e foi obrigado a deixar a Granja Comary. Para o ex-jogador do Flamengo, houve maldade por parte do defensor cafeteiro.

- A falta poderia ter sido evitada. Joguei durante anos e raramente vi um defensor com o joelho levantado numa disputa pelo alto. É típico de quem tem intenção - completou Zico.