icons.title signature.placeholder Leo Burlá
03/06/2014
17:48

Em meio à crise institucional vivida pelo Flamengo, Zico, maior ídolo da História do clube, preferiu não aumentar a temperatura na Gávea. Em evento no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (INTO), nesta terça-feira, o Galinho de Quintino optou por uma saída diplomática e se esquivou de perguntas sobre o momento do time, que ocupa a penúltima colocação na tabela do Brasileirão.

- O Flamengo está de férias, então não vamos falar de Flamengo hoje - cortou.

A postura do ex-jogador difere muito do tom adotado recentemente. Na segunda-feira, à Rádio Globo, Zico foi contundente ao analisar a momento do Fla:

- Em cinco meses, são quase 10 lesões musculares. Que preparação é essa? E vão dar 15 dias de férias? Estão loucos? Os jogadores deviam ter vergonha na cara e se apresentar amanhã.

LEIA MAIS:
> Enquete do L!Net mostra rejeição gigante de André Santos no Flamengo
> Tem proposta? André Santos diz que voltará ao futebol turco

Na mesma linha, o ex-camisa 10 também já criticara alternativas táticas adotadas por Ney Franco, e disse que o técnico demonstra estar 'totalmente perdido'.

Sobre a troca de comando, ele já tinha criticado a atitude da direção do clube no episódio que culminou na demissão de Jayme de Almeida.

Além de ter atuado como cabo eleitoral na eleição que consagrou Eduardo Bandeira de Mello como o novo presidente do Flamengo, Zico tem sido uma espécie de consultor informal da atual diretoria. Comerciais do programa de sócio-torcedor do clube também usam a imagem do ídolo.

Wallim chuta o balde e aponta responsáveis pela crise no Flamengo