icons.title signature.placeholder Renato Rodrigues
19/03/2014
07:10

A grande ocupação de Cleber em sua infância pobre em Salvador foi o boxe. Tradicional no estado, o esporte já formou grandes nomes da modalidade, como Acelino "Popó" Freitas, que já chegou a ser campeão mundial em duas categorias diferentes (superpena e peso-leve). Segundo o corintiano, não tinha outra brincadeira em seu bairro que não fosse a luta.

– Minha vida era só lutar. Era o dia inteiro lutando boxe e, às vezes, capoeira. Era bem legal, eu mandava bem, ouviu? – conta, rindo.

O zagueiro do Corinthians tinha convicção de que viraria um lutador. Mas até ser convidado para uma pelada em um dia qualquer. O dinheiro e um melhor futuro para a família, naquela época, já eram suas prioridades.

– Cara, boxe dá dinheiro, hein! Só que eu larguei porque fui jogar uma peladinha e fui muito bem. O cara me chamou e eu fui jogar. Aí me mandaram lá para Brasília (Legião FC, em 2008, com 18 anos). Eu não estava nem aí, fui mesmo. Deu certo e hoje estou no Corinthians - relembrou.