icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
02/07/2014
07:00

Artilheiro e com notoriedade nos times pelos quais passou, principalmente na Europa, Douglas chegou ao Vasco sem grande destaque. Em fase final de recuperação de um rompimento dos ligamentos do joelho esquerdo, nem sequer foi apresentado. ‘Da Silva’, como ficou conhecido em Israel e Áustria, quer provar, porém, que não é só mais um, ajudar o time cruz-maltino e, aos 30 anos, conquistar o primeiro título no Brasil.

Capitão e uma das principais peças do Figueirense no ano passado, equipe então comandada por Adilson Batista, Douglas Silva, humildemente, reconhece que a briga por espaço no time titular vascaíno não é fácil e elogia os concorrentes.

Um ponto a favor nesta batalha é o retrospecto. Com o camisa 35 em campo, a equipe vascaína não perdeu. Foram sete partidas, três vitórias e quatro empates:

– É bom (o retrospecto). Mas os empates atrapalharam um pouco na Série B. Vejo (a briga por vaga) de uma firma tranquila. Tenho 12 anos de profissional. Não importa se estou jogando ou não. Importante é ajudar. Vim de uma lesão grave. Fiquei dois meses em tratamento e quando tive chance, dei meu máximo. Não preciso mostrar nada para ninguém, Adilson me conhece.

Até o momento, mesmo com as poucas chances, Douglas mostrou, talvez, o motivo de tanto sucesso. Foi dele o gol que classificou o Vasco à terceira fase da Copa do Brasil. Apenas um dos muitos gols que ele espera fazer pelo Cruz-Maltino. Diferentemente da música, ele quer provar que tem estrela para brilhar.