icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
10/11/2013
12:56

Em entrevista ao programa Esporte Espetacular da TV Globo, o zagueiro brasileiro Breno falou sobre o momento difícil que está passando desde que foi acusado de ter colocado fogo na própria residência. O ex-defensor do Bayern de Munique negou que o incêndio, ocorrido em setembro de 2011, tenha sido proposital. 

- Foi um acidente. Fico abalado quando lembro e acho que não é momento para falar sobre isso. Quem sabe mais para frente - afirmou Breno.

Atualmente o jogador cumpre parte da pena em regime semiaberto, trabalhando no próprio Bayern. Ele foi condenado a três anos e nove meses e agora pensa em voltar ao Brasil. Breno já tem contrato assinado com o São Paulo até outubro de 2015.

- Minha maior vontade é voltar ao meu país e ficar junto da minha família - contou o brasileiro, que poderá ganhar a liberdade em janeiro por bom comportamento.

O defensor trabalha no Bayern durante o dia e passa a noite na prisão. Recentemente o zagueiro ganhou o benefício de poder passar 48 horas por mês com a família.

- Chego lá às oito, que é o prazo máximo para chegar. Lá dentro eu converso, como alguma coisa e durmo cedo para acordar no outro dia bem. Para quem conheceu o mundo lá dentro é muito difícil. Hoje dou muito valor aos momentos que estou fora. Cada detalhe da minha vida eu dou valor. Antes também dava, mas não é como hoje - explicou.

Neste período em que está detido, Breno viu pessoas se afastarem e até mesmo presenciou dentro da prisão momentos ruins.

- Não posso considerar esse tipo de gente como amigo. E foi muita gente que se afastou. Quando vi que estava dentro de uma cela, chorei muito. Pensava na minha família e chorava, quando lia as cartas da minha esposa e via as fotos dos meus filhos - disse Breno.

E MAIS:

>Zagueiro Breno pode ganhar a liberdade em janeiro
>Em regime semiaberto, Breno irá treinar equipe juvenil do Bayern
>Polícia afirma que incêndio em residência de Breno foi proposital

- Presenciei alguns presos tentando se matar. Eu me perguntava por que a pessoa fazia isso? Todos erramos, agora era hora de pagar pelos erros. Eu não queria pensar nisso, pensava em poder sair e continuar a minha vida do lado de fora - continuou o zagueiro.

Na reportagem foram mostradas uma mensagens do técnico são-paulino, Muricy Ramalho e do auxiliar Milton Cruz. O treinador falou que está esperando a volta de Breno.

- Estamos aqui te esperando. Você é um cara que eu tenho maior carinho, e quero você aqui de volta - disse Muricy.