icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
26/07/2013
07:03

Foram nove duplas distintas desde o início do ano e a nova formação da defesa sob a batuta de Mano Menezes começa a dar as primeiras respostas. Com quatro gols sofridos em seis jogos desde que o técnico chegou, o dueto composto por González e Wallace desponta com o melhor desempenho entre todos que já jogaram.

Contra o Internacional, no último domingo, a dupla completou a décima partida em 2013. Eles já haviam sido escalados pelos antecessores de Mano: Dorival Júnior e Jorginho.

Na temporada, com a dupla como titular, o time rubro-negro sofreu seis gols, o que significa uma média de apenas 0,6 tentos por jogo. Um dos intocáveis da zaga de Mano, González destacou o trabalho do treinador de uma maneira geral, sem apontar evolução apenas do setor em que ele atua.

– Mano Menezes tem feito um bom trabalho. Tem acrescentado muito ao time. É um técnico que possui muita experiência, já trabalhou na Seleção Brasileira e nos cobra muito taticamente – comentou.

O chileno, inclusive, esteve entre os mais utilizados pelos técnicos, mesmo não tendo feito uma temporada brilhante no ano passado, quando foi contratado como um nome importante para a zaga.

Mano Menezes chegou a indicar Leandro Castán, da Roma (ITA), e com quem havia trabalhado no Corinthians, à diretoria. As negociações, porém, não evoluíram.

Sem o reforço esperado para a defesa, o técnico procura dar entrosamento à atual dupla, garantindo a redução dos gols sofridos.

Com Jorginho, o time teve uma média de um gol sofrido por jogo contra 0,66 do atual comandante. Desempenho que ainda é superior se comparado ao de todo o ano. Foram 25 gols tomados em 31 jogos, com média de 0,80.

Zagueiro não vê rival favorito

Apesar das 12 posições que separam Botafogo e Flamengo na tabela do Campeonato Brasileiro, o zagueiro González diz que, por se tratar de um clássico, o Alvinegro perde a condição de favorito.

– O clássico é um jogo diferente, não conta muito a posição na tabela. Nós esquecemos isso tudo e tentamos ganhar o jogo, apesar de o Botafogo tem um bom time – elogiou o zagueiro rubro-negro.

Um triunfo do time de Mano Menezes irá reduzir a vantagem de sete pontos do Alvinegro, que é o vice-líder do torneio.

Ataque está na contramão

A evolução da defesa, pelo menos a partir da constatação dos números, se contrapõe ao momento de poucos gols do setor do ataque do Flamengo.

Enquanto o time levou oito gols nos primeiros oito compromissos no Brasileirão, o ataque balançou redes pelo mesmo número de vezes.

O desempenho da defesa é inferior apenas ao dos três primeiros colocados da competição, que sofreram sete gols. O ataque, por sua vez, está entre os cinco que menos marcaram gols.

Foram nove duplas distintas desde o início do ano e a nova formação da defesa sob a batuta de Mano Menezes começa a dar as primeiras respostas. Com quatro gols sofridos em seis jogos desde que o técnico chegou, o dueto composto por González e Wallace desponta com o melhor desempenho entre todos que já jogaram.

Contra o Internacional, no último domingo, a dupla completou a décima partida em 2013. Eles já haviam sido escalados pelos antecessores de Mano: Dorival Júnior e Jorginho.

Na temporada, com a dupla como titular, o time rubro-negro sofreu seis gols, o que significa uma média de apenas 0,6 tentos por jogo. Um dos intocáveis da zaga de Mano, González destacou o trabalho do treinador de uma maneira geral, sem apontar evolução apenas do setor em que ele atua.

– Mano Menezes tem feito um bom trabalho. Tem acrescentado muito ao time. É um técnico que possui muita experiência, já trabalhou na Seleção Brasileira e nos cobra muito taticamente – comentou.

O chileno, inclusive, esteve entre os mais utilizados pelos técnicos, mesmo não tendo feito uma temporada brilhante no ano passado, quando foi contratado como um nome importante para a zaga.

Mano Menezes chegou a indicar Leandro Castán, da Roma (ITA), e com quem havia trabalhado no Corinthians, à diretoria. As negociações, porém, não evoluíram.

Sem o reforço esperado para a defesa, o técnico procura dar entrosamento à atual dupla, garantindo a redução dos gols sofridos.

Com Jorginho, o time teve uma média de um gol sofrido por jogo contra 0,66 do atual comandante. Desempenho que ainda é superior se comparado ao de todo o ano. Foram 25 gols tomados em 31 jogos, com média de 0,80.

Zagueiro não vê rival favorito

Apesar das 12 posições que separam Botafogo e Flamengo na tabela do Campeonato Brasileiro, o zagueiro González diz que, por se tratar de um clássico, o Alvinegro perde a condição de favorito.

– O clássico é um jogo diferente, não conta muito a posição na tabela. Nós esquecemos isso tudo e tentamos ganhar o jogo, apesar de o Botafogo tem um bom time – elogiou o zagueiro rubro-negro.

Um triunfo do time de Mano Menezes irá reduzir a vantagem de sete pontos do Alvinegro, que é o vice-líder do torneio.

Ataque está na contramão

A evolução da defesa, pelo menos a partir da constatação dos números, se contrapõe ao momento de poucos gols do setor do ataque do Flamengo.

Enquanto o time levou oito gols nos primeiros oito compromissos no Brasileirão, o ataque balançou redes pelo mesmo número de vezes.

O desempenho da defesa é inferior apenas ao dos três primeiros colocados da competição, que sofreram sete gols. O ataque, por sua vez, está entre os cinco que menos marcaram gols.