icons.title signature.placeholder Luiz Moreira
15/03/2014
07:09

Há males que vem para o bem. O ditado popular se encaixa exatamente na situação do zagueiro Mario Risso. Com o Botafogo já eliminado do Carioca, o técnico Eduardo Hungaro fará alguns testes e dará chances para quem pouco atuou neste ano. Com isso, o uruguaio estreará, neste sábado, diante do Boavista, ás 16h, no Eucy Resende, em Saquarema, com transmissão em tempo real pelo LANCE!Net.

Nos treinamentos, Risso tem se destacado pelo perfil de liderança e pela orientação incessante aos companheiros. Tanto que as expressões “dale” e “arriba” são as mais ouvidas durante as atividades, principalmente em coletivos.

– Sempre fui assim e uso “dale” e “arriba” desde pequeno. Tento ajudar os companheiros e arrumar o time. É uma característica minha. Falo, mas não me entendem muito (risos). À medida que os treinos vão passando, eles compreendem melhor o que peço – afirmou Mario.

Caso o Glorioso ainda tivesse condições matemáticas de passar às semifinais do Estadual, dificilmente Hungaro arriscaria escalar alguma peça diferente do trivial. Até os componentes do elenco principal poderiam ser usados. Mas como apenas cumpre tabela, Duda dará chances também para os volantes Dedé e Fabiano, formados nas categorias de base do Botafogo:

– Temos um grande grupo, mas não dá mais para ganhar o Carioca. Queríamos ganhar o campeonato, mas futebol é assim – lamentou.

Quinto uruguaio na história recente do Alvinegro, Risso começa a escrever a própria história hoje à tarde. Resta saber se terá sucesso como Loco Abreu e Lodeiro, ou fracassará como Arévalo e Castillo. Não é possível prever o futuro do gringo, mas é certo que muitos gritos virão por aí.
Arriba!