icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
04/02/2015
16:12

A Fifa decidiu punir o West Ham em 71 mil libras (cerca de R$ 219 mil) por ter escalado o senegalês Diafra Sakho contra o Bristol City, pela quarta fase da Copa da Inglaterra. O jogador havia sido convocado pela sua seleção para a disputa da Copa Africana de Nações. No entanto, desfalcou Senegal alegando uma lesão nas costas. Mas entrou em campo 18 dias depois e fez o gol da vitória dos Hammers no confronto.

O tento sobre o Bristol City ocorreu dois dias depois de Senegal ser eliminado na fase de grupos da Copa Africana, com derrota para a Argélia. O fato deixou integrantes da seleção irritados e, consequentemente, os integrantes do time de Bristol.

E MAIS
- Na Holanda, jogador expulso com 29 segundos tem pena retirada pela federação
- Marcelo pode fazer jogo 300 pelo Real Madrid e entrar para história do clube

A entidade máxima repreendeu tanto o clube quanto o jogador. Mas a sanção foi pequena, na opinião do Bristol City, que saiu derrotado e foi eliminado da competição. Para o pequeno time, a pena deveria ter sido maior: a exclusão. Mas a Fifa pensou diferente e o West Ham ainda garantiu o prêmio de 90 mil libras (R$ 278 mil) por avançar na competição. Além disso, está liberado para escalar o atleta contra o Manchester United, no domingo, pela 24ª rodada do Campeonato Inglês.


Diafra Sakho foi repreendido pela Fifa por não jogar a Copa Africana (Foto: Glyn Kirk/ AFP)

O West Ham informou em comunicado que 'havia recebido a decisão da Fifa e estava focado para o jogo contra o United'. A direção do Bristol quer pedir uma compensação de até 250 mil libras (R$ 773.625), que seria para suprir a perda do prêmio dado ao West Ham e as receitas de bilheteria.