icons.title signature.placeholder Marcello Vieira
18/06/2014
08:14

A negociação envolvendo Fluminense e Wellington Nem ganhou um contorno inesperado. Ao contrário do que imaginava e desejava, o atacante terá que se reapresentar nos próximos três dias ao Shakhtar Donetsk, clube ucraniano que possui a maior parte dos direitos econômicos do jogador, e aguardar no Leste Europeu o desfecho do negócio.

Entre os dirigentes do Tricolor, o otimismo pela negociação deu lugar à cautela. O lado positivo para o Flu é que a decisão dos ucranianos não foi especificamente com Nem, mas para todos os atletas do clube que no momento estão fora da Ucrânia. Isto ocorreu porque o atacante argentino Facundo Ferreyra entrou com uma ação na Fifa pedindo desligamento do Shakhtar e perdeu. Irritados e preocupados com o caso, os ucranianos decidiram pedir para os atletas regressarem. Feito isto, analisarão cada situação, entre elas, a de Wellington Nem.

O Fluminense tomou conhecimento deste cenário nesta segunda-feira, quando houve uma reunião entre Eduardo Uram, empresário de Nem, e um representante do Shakhtar Donetsk. De certo modo, foi um balde de água fria.

Em contrapartida, o representante ucraniano prometeu resposta em breve. A intenção do Fluminense é de que Wellington Nem seja liberado sem custos pelo período de um ano. Todavia, é possível que o Shakhtar peça um montante financeiro em troca, algo que, a princípio, a diretoria tricolor não deve querer arcar.

Os salários entre Nem e Flu estão acertados. A maior esperança para o Tricolor reside na própria vontade do jogador, que não esconde querer voltar para o clube formador. Resta saber se será suficiente.