icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
29/04/2014
18:58

A rivalidade entre Wanderlei Silva e Chael Sonnen ganhou um novo capítulo na tarde desta terça-feira. Depois do ruído que a briga entre os dois no TUF Brasil 3 provocou e após lidar com apoio e ao mesmo tempo a repressão de alguns torcedores diante de suas atitudes no reality show, o brasileiro resolveu soltar o verbo e dar um longo depoimento sobre tudo o que tem sido mostrado no programa.

Wand fez novas críticas ao estilo falastrão de Sonnen e chegou a chamar o americano de racista. O brasileiro ainda recordou as ofensas feitas pelo rival ao povo brasileiro.

- Isso não é promoção, não é comédia. Esse cara faz piada com violência doméstica, marido que bate na esposa, ele chama as mulheres de p..., fala que no nosso país o pessoal é sujo, fedido... Isso tudo me revoltou! Isso não é promoção. Não tem nada a ver com piada. Estamos sendo marginalizados, descriminados. Isso não existe, vamos abrir o olho. O cara está querendo nos humilhar. Chega de tudo isso! Não vai ser um babaca desse, um racista, que vai chegar aqui e ficar falando um monte de coisa ao nosso respeito. Quero passar uma mensagem a vocês de que nós somos muito mais e temos nosso valor - declarou o brasileiro, em vídeo divulgado no Youtube.

O "Cachorro Louco" prosseguiu no que pareceu ser uma explicação do por quê ele se envolveu na fatídica briga com o rival americano em plenas gravações do The Ultimate Fighter Brasil 3. 

- Estava me achando na missão de defender o Brasil. Esse cara é um criminoso, não deveria estar recebendo atenção da mídia. Ele é um marginal, tem processos contra ele por lavagem de dinheiro. Estava mostrando minha indignação, mostrando que não seria amigo dele e não adiantava ele querer se fazer de gente boa comigo. Comigo, não! Ele queria falar tudo o que falou e me fazer conivente com isso. Eu não ia aceitar tudo o que aconteceu. Isso vai contra os meus princípios. Não vou deixar que o cara venha de outro lugar, fale tudo o que falou e que venha apertando a minha mão sorrindo, fingindo que nada aconteceu. Vocês acham que isso seria legal? Gostariam de ver um representante de vocês sendo conivente com o que ele falou de vocês? - concluiu.