icons.title signature.placeholder David Nascimento e Pedro Leanza
01/06/2014
20:27

A má fase do Flamengo transcende os gramados. Após a derrota para o Cruzeiro por 3 a 0, na tarde deste domingo, pelo Campeonato Brasileiro, em Uberlândia, Wallim Vasconcellos resolveu entregar o cargo de vice-presidente de futebol do clube rubro-negro. Isto em menos de um mês depois da saída de Paulo Pelaipe do cargo de diretor executivo de futebol, um dos que eram mais ligados à Wallim na Gávea.

Wallim Vasconcellos era um dos homens mais fortes da gestão de Eduardo Bandeira de Mello. E um dos dirigentes que mais tinha ciúmes do cargo. Primeiramente, Wallim fora candidato à presidente do Flamengo na eleição de 2012, mas acabou sendo impugnado por não ter cumprido as regras estatutárias para pode se candidatar, assumindo assim a pasta do futebol. E, desde então, não deixava outros companheiros de diretoria influenciar nas decisões de seu departamento.

Foi justamente por isso que Wallim Vasconcellos causou muitos atritos dentro da diretoria do Flamengo. O agora ex-dirigente sempre foi da linha oposta da que Luiz Eduardo Baptista, vice-presidente de marketing, adota no clube. Isto fez com que uma batalha entre os dois mais influentes vice-presidentes surgisse nos bastidores da Gávea.

E MAIS!
> Vice-presidente do Fla desabafa no Twitter: 'Me sinto humilhado'
> VÍDEO Ney Franco critica condição física: Estamos sendo atropelados
> VÍDEO Cruzeiro envolve o Flamengo e goleia por 3 a 0

No ano passado, por exemplo, a personalidade forte de Wallim Vasconcellos fez com que uma briga interna fosse criada com o então vice-presidente de relações externas, Flávio Godinho, que era um dos aliados políticos de Bap. Este episódio foi fundamental para que Godinho entregasse o cargo, na época. Vale destacar, porém, que agora ele se articula com outros conselheiros do clube para na eleição presidencial em 2015 ter alguma possibilidade de lançar uma chapa e se eleger.

O LANCE!Net apurou que o episódio mais recente aconteceu no fim do mês passado e também com o vice de relações externas, pasta esta que atualmente é comandada por Plinio Serpa Pinto, também aliado de Bap. Plinio começava a se articular no futebol, sob apoio de Kleber Leite, sendo responsável inclusive a iniciar as conversas com o Milan por Robinho, o que acabou não indo para frente.

Pouco antes de retornar da Europa para o Brasil, Plinio Serpa decidiu que iria sair da vice-presidência de relações externas justamente por esse ciúme de Wallim Vasconcellos, com a única chance de desistir do ato sendo atrelada à saída de Wallim, o que acabou acontecendo por esse sufoco político que passou nos últimos meses por conta da má fase do Flamengo em campo.

Cruzeiro envolve o Flamengo e goleia por 3 a 0