icons.title signature.placeholder Luiz Carlos Ferreira
25/11/2013
08:17

Convocado pela primeira vez para Seleção em 2010, ainda como promessa, aos 19 anos, o oposto Wallace vive seu melhor momento na equipe. Um dos principais nomes da campanha que garantiu o quarto título da Copa dos Campeões, no último domingo, ele disputou sua primeira competição como titular e foi eleito o melhor jogador do torneio em sua posição.

Um ano depois de debute, Wallace foi chamado para o Pan de Guadalajara, onde conquistou o ouro. Depois, fez parte da lista inicial do grupo que participou da Copa do Mundo, mas acabou não ficando entre os 12. Na ocasião, os opostos principais foram Leandro Vissotto e Théo.

Durante este período, ele passou os três primeiros anos no banco e foi prata olímpico e da Liga Mundial, até se firmar na equipe e atuar como titular na Copa dos Campeões, justamente na vaga de Vissotto, que não foi convocado por Bernardinho. Antes, ele já havia passado por situação semelhante, quando o jogador do RJX se lesionou na fase final da Liga em 2013 e Wallace assumiu sua vaga na equipe.

Agora, o oposto admite que sua responsabilidade no time aumentou, mas não se considera um dos líderes, cargo que deixa para o levantador Bruninho.

- A responsabilidade aumenta um pouco depois de ter jogado a Olimpíada e grande parte da Liga Mundial deste ano. Isso me deu um pouco mais de bagagem - disse o oposto.

A evolução de Wallace na Seleção também foi acompanhada por seu crescimento no Sada Cruzeiro, onde se consolidou como um dos principais jogadores do time e levou o título da Superliga na edição 2011/2012. Nesta temporada, além do título da Copa, ele também se sagrou campeão mundial com o clube.

- Espero continuar ajudando a seleção sempre dessa forma para me manter no grupo e, quem sabe, seguir como titular. As coisas acontecem por partes. Primeiro, torço para ser convocado. Depois, para estar entre os 12 e, a partir disso, passo a brigar para ser titular - afirmou Wallace.