icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
14/07/2013
13:20

Com 14 pontos, o oposto Wallace foi quem mais virou bolas pelo time brasileiro na vitória por 3 sets a 0 sobre os Estados Unidos neste domingo, no Maracanãzinho, no encerramento da primeira fase da Liga Mundial de vôlei.

Mais à vontade em quadra e mais efetivo nos contra-ataques do que na partida de sábado, o atleta foi a bola de segurança do levantador William. Após o jogo, ele admitiu ter seguido as orientações do técnico Bernardinho no que diz respeito à postura na hora de atacar a bola.

- Vim com outra mentalidade. Ontem eu estava preocupado em não errar, então muitas vezes acabei aliviando. Hoje, acho que errei menos e ainda ataquei melhor. O que é pedido (pela comissão técnica) tem que ser atendido - disse o atacante.

Ao todo, o oposto só ficou atrás do rival Clark Clarson, que anotou 17 pontos na partida. Mas o aproveitamento do brasileiro nas ações ofensivas foi superior: recebeu 22 bolas e colocou 11 no chão, enquanto o adversário recebeu 32 e definiu 14. No saque, Wallace ainda marcou três vezes.

O camisa 4 pretende seguir o mesmo pensamento da vitória de hoje na fase final da Liga, que começa nesta quarta-feira, quando o Brasil encara a Rússia, em Mar del Plata, na Argentina:

- A partir de amanhã começaremos a estudar a Rússia e o Canadá. Temos que estar confiantes, afinal temos tudo para fazer dois bons jogos. Esses times vão exigir um certo cuidado, então o importante é entrar em quadra pensando em errar o mínimo possível.

Além dos russos, o time verde-amarelo terá pela frente o Canadá durante a fase final. Na outra chave, estão Bulgária, Itália e Argentina.

Com 14 pontos, o oposto Wallace foi quem mais virou bolas pelo time brasileiro na vitória por 3 sets a 0 sobre os Estados Unidos neste domingo, no Maracanãzinho, no encerramento da primeira fase da Liga Mundial de vôlei.

Mais à vontade em quadra e mais efetivo nos contra-ataques do que na partida de sábado, o atleta foi a bola de segurança do levantador William. Após o jogo, ele admitiu ter seguido as orientações do técnico Bernardinho no que diz respeito à postura na hora de atacar a bola.

- Vim com outra mentalidade. Ontem eu estava preocupado em não errar, então muitas vezes acabei aliviando. Hoje, acho que errei menos e ainda ataquei melhor. O que é pedido (pela comissão técnica) tem que ser atendido - disse o atacante.

Ao todo, o oposto só ficou atrás do rival Clark Clarson, que anotou 17 pontos na partida. Mas o aproveitamento do brasileiro nas ações ofensivas foi superior: recebeu 22 bolas e colocou 11 no chão, enquanto o adversário recebeu 32 e definiu 14. No saque, Wallace ainda marcou três vezes.

O camisa 4 pretende seguir o mesmo pensamento da vitória de hoje na fase final da Liga, que começa nesta quarta-feira, quando o Brasil encara a Rússia, em Mar del Plata, na Argentina:

- A partir de amanhã começaremos a estudar a Rússia e o Canadá. Temos que estar confiantes, afinal temos tudo para fazer dois bons jogos. Esses times vão exigir um certo cuidado, então o importante é entrar em quadra pensando em errar o mínimo possível.

Além dos russos, o time verde-amarelo terá pela frente o Canadá durante a fase final. Na outra chave, estão Bulgária, Itália e Argentina.