icons.title signature.placeholder David Nascimento
04/11/2014
21:58

O Conselho Deliberativo do Flamengo se reuniu na noite desta terça-feira, na Gávea, para as votações das propostas de inclusão de uma nova estrela na camisa, dos modelos de uniforme para a temporada 2016/2017 e da cota extra de R$ 39, e a reunião foi marcada por muita polêmica. A questão sobre a segunda estrela na camisa, por exemplo, que seria referente ao título do Mundial de basquete conquistado neste ano pelo Rubro-Negro, foi suspensa por tempo indeterminado.

A retirada de pauta da proposta da inclusão da nova estrela aconteceu após a diretoria do Flamengo perceber que a maioria dos conselheiros votariam contra a inclusão e poderia fazer com que a situação perdesse abrangência política. Também em pauta, os uniformes para 2016/2017 elaborados pela Adidas, fornecedora de material esportivo do clube, tiveram apenas os conceitos aprovados, por conta da apresentação ter sido em slide, sem os modelos. Os detalhes com cores "preto e branco", presentes no uniforme principal, foram retirados. A terceira camisa será toda cinza e foi aprovada. Os uniformes da temporada 2016/2017 terão que ter os modelos prontos para passar novamente por votação e tentar a aprovação.

Último ponto em pauta, a cota extra foi derrubada por maioria dos votos. O presidente Eduardo Bandeira de Mello chegou a discursar sobre a necessidade da manutenção dos valores para a sustentabilidade da sede da Gávea, mas foi vaiado por alguns conselheiros. Após isso, o mandatário do Flamengo afirmou que tomará outras medidas para repor o dinheiro, como o aumento da mensalidade dos sócios. Vale lembrar que todos os valores já pagos de cota extra terão de ser devolvidos pela diretoria aos associados. Outro ponto que vale destacar é que, no início da reunião, um membro da situação estava filmando a reunião e foi retrucado pelos demais conselheiros. Sua saída foi solicitada pelo presidente do Deliberativo, Delair Dumbrosck, e os seguranças foram acionados.