icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
22/02/2015
21:41

O barco chinês Dongfeng Race Team assumiu, neste domingo, a liderança provisória da quarta etapa da Volvo Ocean Race, disputada entre a China e a Nova Zelândia. Depois de figurar por vários dias na parte de trás da classificação, inclusive em último, a equipe asiática aproveitou melhor as zonas de instabilidade do Oceano Pacífico Sul. Os chineses trouxeram os espanhóis do MAPFRE e os árabes Abu Dhabi com eles. Pior para o Team Brunel, que liderou a regata durante a semana semana inteira, e caiu para quarto.

- Nós estamos sorrindo novamente. É uma recompensa do trabalho feito. A equipe precisou ter cuidado ao reparar um problema no mastro. Coube a Kevin Escoffier escalar e consertar. Depois de duas horas de trabalho duro em 25 metros de altura, o Kevin conseguiu colar a peça que havia saído da trilha. Foi difícil porque nesse ponto qualquer movimento no barco é amplificado, explicou o comandante Charles Caudrelier.


E MAIS:
> Fognini leva o título do Rio Open de tênis
> Confira como foi o acidente de Fernando Alonso nos testes em Barcelona

A queda de produção do Team Brunel e a subida do Dongfeng tem relação com a zona dos Doldrums desta parte do Pacífico. Na maioria das vezes, os barcos pegam pouco vento. Mas desta vez, porém, são boas as condições de navegação depois de cruzar o Equador.

- As últimas 24 horas têm sido boas. Fomos abençoados com condições de vento para navegar por muito mais do que era esperado com base em estatísticas históricas, falou o repórter a bordo do MAPFRE, Francisco Vignale.

A tendência é que a flotilha diminua um pouco a velocidade na aproximação a Fiji. O destino final da quarta etapa é Auckland, na Nova Zelândia. Faltam aproximadamente 3.300 quilômetros.