icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
17/06/2014
19:20

Depois de 25 anos, o Chile volta ao Maracanã. A última passagem não foi nada agradável e ainda é um assunto que não cai muito bem na seleção chilena, que enfrenta a Espanha, nesta quarta-feira.

Em 1989, em um jogo contra o Brasil pelas Eliminatórias, o goleiro Jorge Rojas, que posteriormente viria a trabalhar no São Paulo, aproveitou que sinalizador foi atirado no gramado para simular ter sido atingido.

Diante do sangue do goleiro, inicialmente a atuação convenceu. Mas depois foi descoberto que Rojas se cortou com uma lâmina e os chilenos para gerar um fato que justificasse o abandono do jogo pelos chilenos, que estavam perdendo por 1 a 0 e ficando fora da Copa de 1990.

O saldo foi que o goleiro foi banido do futebol e o Chile, claro, não se classificou para a Copa e sequer teve a permissão de jogar a Eliminatória para o Mundial de 1994.

- Conheço a história, mas nem tinha me dado conta disso. Sou argentino, prefiro que Marcelo (Díaz) fale - "desviou-se" o atual técnico do Chile, Jorge Sampaoli, em coletiva de imprensa no Maracanã nesta terça-feira.

O jogador, por sua vez, usou a pouca idade para não comentar.

- Eu era pequeno, não tenho muita noção do que passou. Não saberia como responder - disse Díaz.

Chile e Espanha se enfrentam no Maracanã nesta quarta-feira, às 16h, pela segunda rodada do Grupo B da Copa-2014. Uma vitória vai classificar o Chile.