icons.title signature.placeholder Russel Dias
14/07/2014
09:04

Após a última rodada do Campeonato Brasileiro antes da Copa do Mundo, em que o Santos venceu o Criciúma por 2 a 0, o técnico Oswaldo de Oliveira foi bem direto com Geuvânio: "Se não reagir vai perder oportunidades".

Depois dessa declaração pública do treinador, o camisa 10 pareceu sentir o baque e entendeu a cobrança. Nos últimos testes do Peixe durante a intertemporada o atacante chegou a ser reserva de garotos mais novos que ele, como Jorge Eduardo e Diego Cardoso, como foi contra o Criciúma, mas nos dois últimos jogos-treino ele anotou dois gols em cada e devolveu o recado para o "professor" Oswaldo.

– Provavelmente seja essa a esquipe (que está treinando), acho que eu posso sair jogando. Ele (Oswaldo) está me dando confiança novamente e estou fazendo o que ele pede, estou marcando, o que é importante para recompor, e tem dado certo. Fiz gols e estou feliz - disse Geuvânio ao LANCE!

A queda do Caveirinha - como é chamado por alguns companheiros - na equipe do Santos foi tão rápida quanto sua ascensão. Depois de sete gols e 11 assistências no Campeonato Paulista, sendo o líder de passes para gol, ele foi sacado da do time logo na terceira rodada do Campeonato Brasileiro, e as críticas vieram à tona.

– A partir do momento que você começa a aparecer vem elogios e quando você não joga as pancadas vêm com bastante força. As críticas vieram e eu coloquei a cabeça no lugar, mas sempre tive na cabeça que eu ia dar a volta por cima. E agora voltei à equipe, estou vivendo um bom momento de novo.

Aos 22 anos, Geuvânio terá que continuar controlando o emocional e passar por cima das críticas para continuar mantendo a titularidade. Os objetivos ele já traçou.

– Sempre queremos um título atrás do outro - disse, esperançoso.