icons.title signature.placeholder Alexandre Braz e Luiz Gustavo Moreira
02/02/2015
08:03

Se na técnica estava difícil bater o Boavista, no sábado, o Botafogo teve que usar o coração e a disposição para conseguir o triunfo, por 1 a 0, na estreia da equipe no Campeonato Carioca. Mas a utilização desses atributos somente foi possível porque os jogadores estão com a preparação física em dia.

– Abro um parênteses para elogiar a preparação física do elenco, porque o Boavista começou a treinar antes da gente para o Campeonato Carioca, mas cansou mais do que o Botafogo durante a partida – afirmou o técnico René Simões, após o duelo.

O trabalho do preparador Marcello Campello tem sido bastante elogiado internamente. Por exigir muito do elenco na pré-temporada, realizada em Várzea das Moças, Niterói, alguns jogadores chegavam a brincar dizendo que não aguentavam mais as exigências dele.

No meio do período de preparação, René deu um dia de folga para os jogadores. No dia seguinte, para fazer eles voltarem ao ritmo, Campello "tirou o couro" dos atletas.

– Eles até me falaram para não ganharem mais folga durante a pré-temporada, porque chegaram no dia seguinte e estavam pegando fogo. Mas foi tudo dentro do planejado. É um período que temos para trabalhar forte e não podemos abrir mão disso – disse o preparador, em entrevista ao Preparador projeta time no ápice entre a quarta e quinta rodada do Carioca.

Apesar de mostrar evolução na parte física, Campello acredita que o time do Glorioso só chegará ao melhor da forma entre a quarta e a quinta rodada do Estadual:

– O time deve chegar à melhor forma lá pela quarta, quinta rodada... Mas aqueles que estiverem sendo mais utilizados. Quem jogar pouco vai demorar mais.

E põe correria nisso...

BATE-BOLA COM MARCELLO CAMPELLO, PREPARADOR FÍSICO DO BOTAFOGO

1) Qual a avaliação da pré-temporada realizada pelo Botafogo?

R: Ela foi muito proveitosa. Deu para tirar quase o máximo deles na parte física. Traçamos a nossa linha de trabalho para duas semanas de pré-temporada em Niterói, porque agora os jogos entram naquela fase de quarta-feira e domingo, sempre. Ela foi bem intensa.

2) Qual a avaliação dos jogos da pré-temporada e qual a importância deles para a sequência do ano?

R: No início estávamos mais presos pela sobrecarga de trabalho. Os jogadores com a perna um pouco presa e os adversários mais soltos. Cada jogo é uma história, não se pode comparar. foi tudo bem planejado, o calor influencia um pouco, mas já estão todos acostumados com isso.