icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
06/03/2014
00:30

Em uma entrevista coletiva com falas firmes, o técnico Paulo Autuori comentou a vitória do Atlético-MG e lembrou que os 2 a 0, construído com um futebol pouco atrativo, deve ser valorizado por conta da proposta de jogo da Caldense, que marcou bem o Galo.

- Me considero um cara do futebol e gosto de ver coisas boas, não posso começar a falar sem parabenizar o time do Caldense, da maneira como se comportou no jogo, com a bola e sem a bola, temos que valorizar isso, ainda mais uma equipe de menor porte. Começo parabenizando o adversário - disse o treinador do Atlético-MG.

O Galo, que venceu a terceira seguida no Campeonato Mineiro, depois de um início ruim, encontrou um time fechado e ainda se lamentou por não poder usar alguns titulares. O principal deles, no contexto da partida, foi o atacante Jô, que estava na Seleção Brasileira. Autuori comentou sobre o uso de Guilherme como um atacante e até cogitou usar André em outras situações parecidas.

- O Tardelli se manteve na mesma posição, objetivo era o Guilherme, mas a equipe está rotinada a jogar com homem de referência, normalmente a gente valoriza mais nas ausência que na presença, então sabemos como o Jô é importante. O Guilherme está numa forma excelente. Poderíamos ter colocado o André. Mas isso é bom para todos nós, na próxima oportunidade, pensar qual seria a melhor escolha.

Por fim, o treinador voltou a elogiar o trabalho do colega de profissão Leonardo Condé, indiretamente, explicando que esperava isso (retranca) de um time que vai enfrentar o Galo no Horto.

- Quando nós vamos jogar fora, o adversário se propõe a jogar mais, é natural. Quando vem jogar aqui, se propõe a defender, fecha espaços e dificulta. Prefiro valorizar a vitória pelo grau de dificuldade do adversário criou.

Sem ressaca de carnaval! Atlético-MG vence Caldense em casa