icons.title signature.placeholder Gabriel Carneiro
28/11/2013
17:24

O corpo do motorista Fábio Luís Pereira, de 42 anos, vítima de um acidente na obra da Arena Corinthians, foi sepultado nesta quinta-feira no Cemitério Parque, em Limeira, a cerca de 100km da capital paulista.

O clima, como não poderia ser diferente, era de consternação. O ex-presidente do Corinthians Andrés Sanchez esteve no local e, por diversas vezes, caiu em lágrimas. Ele não quis se pronunciar. Clube, Odebrecht e a empresa que Fábio estava vinculado mandaram coroas de flores. Amigos de Fábio lamentaram a perda.

- Era um cara nota dez, tranquilo, família. A semana toda passava fora e quando voltava no sábado era festa. Ele virou corintiano por causa das três filhas (Karen, Karollay e Keille). Acabaram nossos papos, acabou tudo, é dar força para a família - lembrou Nivaldo Laurindo.

- Agora, ele entrou para a história - afirmou Jorge Batista.

Fábio morava em um alojamento da empresa durante a semana e costumava passar os finais de semana com a esposa e as três filhas na cidade do interior de São Paulo. De acordo com seus amigos, o motorista era corintiano fanático e demonstrava orgulho de trabalhar no futuro estádio do clube em Itaquera.

Vale lembrar que, de acordo com Andrés, o motorista estava dentro do caminhão que trabalhava, dormindo, quando o guindaste que tentava içar a última peça da cobertura do lado norte desabou.

Além de Pereira, Ronaldo Oliveira Santos, de 44 anos, também morreu no acidente que ocorreu na manhã da última quarta-feira.