icons.title signature.placeholder LANCEPRESS
16/12/2013
19:47

As vistorias na Arena da Amazônia para apurar as condições de trabalho na obra do estádio vão continuar ao longo da semana, segundo o Ministério Público do Trabalho do Amazonas. Nesta segunda, auditores fiscais do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), três procuradores do MPT-AM, um perito técnico do MPT de Porto Velho (RO) e representantes da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego no Amazonas (SRTE-AM) começaram o trabalho de vistoria.

E MAIS:
Operários trabalham até 18h na Arena da Amazônia, denuncia sindicato
Brasil tem mais que o triplo de mortes em obras da Copa do que África do Sul

No canteiro de obras, os profissionais entrevistaram operários sobre as condições de segurança e jornadas de trabalho, além de analisar os equipamentos de segurança utilizados por eles. Apesar de terem permanecido no local por mais de seis horas, a vistoria vai continuar durante a semana. Enquanto isso, a obra está interditada na parte da cobertura a pedido do MPT-AM até que um laudo seja emitido comprovando condições seguras. Apesar da determinação judicial, os operários fizeram um protesto na parte da manhã e paralisaram toda a operação, segundo o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil do Estado do Amazonas (Sintracomec-AM).

Na madrugada do último sábado, Marcleudo de Melo Ferreira, 22 anos, caiu de uma altura de 35 metros na Arena da Amazônia enquanto instalava refletores na cobertura e faleceu. Pouco mais de seis horas depois, José Antônio do Nascimento, 49 anos, sofreu um infarto quando trabalhava nos serviços de limpeza e terraplanagem para o asfaltamento do Centro de Convenções da Amazônia, ao lado do estádio amazonense.

A Arena da Amazônia está sendo reformada para a Copa do Mundo de 2014, quando receberá quatro jogos na fase de grupos da competição.