icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
03/12/2013
11:49

Após a expressiva vitória por nocaute no primeiro round em sua estreia pelo UFC, em agosto deste ano, Viscardi Andrade já tem novo compromisso marcado no octógono. No dia 15 de fevereiro, em Jaraguá do Sul (SC), o atleta enfrenta o sueco Nicholas Musoke, disposto a repetir não só o resultado, mas o gesto de caridade feito após o UFC Rio 4, quando doou as luvas da luta para a Santa Casa de Jales, cidade do interior paulista, onde nasceu.

- Fiquei muito feliz de poder ajudar. Sou um cara do interior e sei a carência de todos nessa região. Pude notar que a cidade ficou feliz com minha vitória, pelo carinho que recebi das pessoas. A renda do leilão ficou toda para a Casa, que costuma ficar no vermelho e a Prefeitura não consegue colaborar. No que puder ajudar, eu vou. Pretendo dar meu auxílio a outras instituições, estou vendo as possibilidades - revela.

Seu adversário no UFC Fight Night Combate: Machida x Mousasi, Nicholas Musoke vem de seis vitórias consecutivas na carreira e no primeiro combate pelo Ultimate finalizou o experiente Alessio Sakara. Campeão mundial de jiu-jitsu esportivo e dono de boxe afiado, Viscardi não se intimida com o bom retrospecto do oponente e dos perigos que ele pode lhe oferecer.

Viscardi venceu Bristol Marunde no Rio de Janeiro (FOTO: Divulgação)

- Gostei bastante do adversário escolhido, porque é um cara que chegou bem no UFC, fez uma boa luta de estreia, finalizando um veterano. Comecei a estudá-lo agora, mas deu para ver que ele parte para decidir desde o começo e tem um chão bom. O Musoke tem uma trocação afiada, mas não escolhe em qual área quer lutar - comenta o lutador.

Conhecido pelo estilo explosivo no octógono, com 11 vitórias por nocaute ou finalização na carreira, sendo oito no primeiro round, o semifinalista do TUF Brasil 2 sabe bem quais as armas precisa utilizar para somar o segundo triunfo no Ultimate.

- Ele vai vir para cima golpear e vou encarar. Mas se tiver uma chance, vou colocar para baixo e trabalhar o meu jiu-jitsu. Na primeira bobeira dele, pego e finalizo - analisa o atleta.

Viscardi Andrade não encontrou muita resistência de Bristol Marunde em sua estreia no UFC e aplicou um nocaute com menos de dois minutos de combate. Entretanto, para o segundo compromisso na franquia, ele não pensa em novo triunfo relâmpago, mas sim em sair com mais uma vitória e ganhar cada vez mais a confiança do Ultimate, com grandes apresentações.

- Se for rápido melhor, mas a ideia é sair com o braço levantado sempre. No UFC tem que dar show, então quero impressionar a organização para enfrentar lutadores tops e convencer. Estou preparado para tudo. Vai ser um bom espetáculo - conclui o brasileiro.